Harry Potter - O Fenômeno Ocultista

Por Natanael Rinaldi

Os cristãos, leitores da Bíblia, não devem ser apanhados de surpresa diante dos acontecimentos imprevisíveis dos últimos tempos. Isto porque, embora não se dêem à prática de consultar horóscopos, cartomantes, quiromantes, videntes e outras atividades ligadas ao ocultismo, têm as Escrituras como a palavra de Deus. Em se tratando das Escrituras, Pedro foi bem claro ao afirmar que elas nos servem de farol ante os dias tenebrosos que estamos vivendo. “E temos mui firme, a palavra dos profetas, a qual bem fazeis em estar atentos, como a uma Liz que alumia em lugar escuro, até que o dia amanheça, e a estrela da alva apareça em vossos corações” (2Pe 1.19).

Justificamos quase sempre o crescimento das seitas como resultado da ação dos espíritos enganadores e das doutrinas de demônios, conforme profetizado pelo apóstolo Paulo em 1Timóteo 4.1. É assim que encaramos o crescimento dos cultos espíritas, afro-brasileiros e orientais, e também do islamismo, cujos adeptos mais ferrenhos foram os responsáveis pelo ataque terrorista de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos. Segundo informaram alguns jornais, o interesse pelo islamismo tem crescido muito nos Estados Unidos da América.

Os livros sobre Harry Potter

Com o surgimento dos livros da escritora Joanne Kathleen Rowling, cujos títulos e enredo estão ligados ao adolescente Harry (James) Potter, todas as expectativas em matéria de publicações infantis foram ultrapassadas, mesmo diante dos chamados experts em literatura desse gênero. Os livros são: “Harry Potter e a pedra filosofal”, “Harry Potter e a câmera secreta”, “Harry Potter e o cálice de fogo” e Harry Potter e o prisioneiro de Azkaban”. Como a série consta de sete volumes, ainda faltam três livros. O último deles fechará o círculo com Harry Potter, já aos 18 anos, se formando em magia.

Recentemente, o primeiro livro da série de Harry Potter saiu nas páginas para as telas e o sucesso cinematográfico dessa obra tem sido fantástico. A seguir alguns comentários, opinião de críticos e títulos de artigos publicados pela imprensa sobre o lançamento do filme em língua portuguesa:

• “Chega ao país o fenômeno ‘Harry Potter’: maior bilheteria de estréia da história” (Folha de São Paulo, 23/12/01).
• “Mais de US$ 93 Milhões de bilheteria em 3 dias nos Estados Unidos” (Folha de São Paulo, 23/12/01).
• “Recorde absoluto de abertura de um filme na história do cinema” (Folha de São Paulo, 23/12/01).
• “Faça parte deste mundo de magia e emoção” (Folha de São Paulo, 23/12/01).
• “Uma jornada além da sua imaginação” (Folha de São Paulo, 23/12/01).

O filme “Harry Potter e a pedra filosofal” ocupou 474 cinemas nacionais (283 cópias legendadas e 191 dubladas) e foi recorde de estréia em número de salas no Brasil. Na semana de sua estréia nos Estados Unidos, Inglaterra e Canadá “Harry Potter e a pedra filosofal” abocanhou uma bilheteria de estréia de todos os tempos (Jurassic Park2”, em 97, atingiu a cifra de US$ 72,1 milhões).

Os números mágicos de “Harry Potter” não param por aí: a adaptação do primeiro livro da série para as telas (o livro vendeu 100 milhões de cópias em 47 países) será exibida em 8.000 salas no mundo, com tradução para mais de 40 idiomas. O longa-metragem é assunto predileto de boa parte das crianças inglesas, que passam horas falando sobre seus personagens e trechos preferidos.

O enredo do filme

Com duração de 152 minutos, o filme conta a história do menino-mago, já relatada inúmeras vezes. Ainda bebê, Harry Potter (interpretado pelo ator londrino Daniel Radcliffe, 12 anos) é deixado na porta da casa dos Dursley na noite terrível em que seus pais foram assassinados pelo maligno mago Lord Voldemort, o senhor das trevas. Na verdade, Lord Voldemort, tentou matar Harry junto com seus pais, mas não conseguiu.

Em seu 11º aniversário, o garoto, que tem uma cicatriz em forma de raio na testa, recebe uma carta convite para ingressar na “Escola de magia e bruxaria Hogwarts”. A partir daí, o feiticeiro começa a desvendar sua verdadeira história. Torna-se famoso no mundo das varinhas mágicas e vassouras voadoras por ter as garras de um bruxo das trevas (Voldemort, nome que não deve ser pronunciado). Em Hogwarts, Harry vive aventuras com seus amigos: o divertido Rony Weasley (Rupert Grint) e a sabe-tudo Hermione Granger (Emma Watson).

O garoto Daniel Radcliffe, que interpreta Harry Potter no filme, conta que adorou fazer a cena em que conversa com uma cobra brasileira no zoológico. Harry, em dos poucos bruxos que falam a língua das serpentes. Ajuda o animal a fugir do cativeiro. Declara o jovem ator: “adoraria ter uma capa da invisibilidade para ver a reação das pessoas ao assistirem ao filme”.

O filme apresenta pessoas invisíveis, fantasmas, duendes, chapéus que falam, dragões, gigantes em motocicletas mágicas e bolas com asas. Ensinam a fazer feitiços com varinhas mágicas, a voar em vassouras e a mandar recados por corujas.

Considerações bíblicas sobre feitiçaria e satanismo

Harry Potter é um adolescente envolvido com feitiçaria e satanismo. E faz suas ruínas com palavras de magia e invocações de pobres demoníacos. Embora pareçam sinônimas as palavras feitiçarias e satanismo, na verdade Satanás é o que promete, dentre outras atividades malignas, a feitiçaria. Assim, a feitiçaria é uma prática, enquanto satanismo abrange todas as demais atividades promovidas por Satanás, que é o pai da mentira (Jo 8.44). Ele veio para matar, roubar e destruir (Jo 10.10).

Feiticeiros são pessoas que invocam os demônios e ousam instigá-los, para que matem seus inimigos através de estratagemas malignos. Francesco-Maria Guazzo, erudito italiano, citado no livro “Entendendo o oculto”, pp. 184 e 185, faz uma lista das antigas exigências para que alguém pudesse se transformar em bruxo. Algumas delas são:

“Negar a fé cristã: ‘nego o Criador dos céus e da terra; nego meu batismo, nego o culto que anteriormente prestava a Deus. Uno-me ao diabo e creio apenas nele”.

“Ser batizado novamente pelo diabo, com um novo nome”.

“Oferecer ao diabo, como prova de rendição, uma peça de roupa”.

“Jurar obediência ao diabo, colocando-se dentro de um círculo mágico desenhado na terra. Pedir ao diabo para que sei nome seja escrito no livro da morte”.

“Prometer pagar um tributo anual ao demônio determinado”

E mais:

“Apenas presentes de cor preta eram válidos”.

“Colocar as marcas do diabo em várias partes do corpo, assim a parte marcada tornava-se insensível. A marca tinha várias formas – um pé de coelho, um sapo ou uma aranha”.

“Fazer votos de servir ao diabo:... esmagar relíquias sagradas; nunca usar água ou velas bentas e guardar silêncio de seus tratos com Satanás”.

Deus é Espírito pessoal, como afirma Jo 4.24. Como personalidade espiritual, manifestou sua vontade na Bíblia Sagrada. E esta, sem rodeios, manifesta que devemos descobrir qual é “a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” (Rm 12.2). Assim, qualquer tema que aborde favoravelmente a feitiçaria, mesmo para divertimento, deve ser repelido pelo cristão. “Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele” (1 Jo 2.15).

Quando se desconhece a vontade de Deus, e alguém se envolve com a feitiçaria, o Senhor anuncia que as pessoas se arrependem dessa prática nefasta.

“Mas Deus, não tendo em conta o tempo da ignorância, anuncia agora a todos os homens, e em todo o lugar, que se arrependam” (At 17.30).

As ordens de Deus eram severas:

“Mate toda mulher que fizer feitiçaria” (Êx 22.18);

“Não procurem adivinhar o futuro nem façam feitiçarias” (Lv 19.26);

“Não procurem a ajuda dos que invocam os espíritos dos mortos e dos que adivinham o futuro. Isso é pecado, e fará que vocês fiquem impuros. Eu sou o Eterno, o Deus de vocês” (Lv 19.31);

“Se alguém procurar ajuda dos que invocam os espíritos dos mortos e dos que adivinham o futuro, eu ficarei contra essa pessoa” (Lv 20.6 – BLH);

“Não deixem que no meio do povo haja adivinhos ou pessoas que tiram sorte; não tolerem feiticeiros, nem quem faz despachos, nem os que invocam os espíritos dos mortos. O Deus Eterno detesta os que praticam essas coisas nojentas e por isso mesmo está expulsando da terra esses povos, enquanto vocês vão tomando posse dela. Em todas as coisas sejam fiéis ao Eterno, o nosso Deus” (Dt 18.10-13).

Enquanto os castigos para os desobedientes no Antigo Testamento eram físicos, no Novo Testamento são aplicados à vida que segue após a morte.

Qual castigo de Deus sobre essas práticas?

“Mas enquanto... aos feiticeiros... a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte” (Ap 22.15).

O sinal da besta

Em Apocalipse 13.4 está escrito que o dragão dá à besta o seu poder, levando todos os habitantes da terra a adorá-lo. A besta, por sua vez, com o poder que recebe do dragão, ordena que “... a todos, pequenos e grandes, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita (v.16). Uma particularidade com respeito a Harry Potter é que ele tem a marca de um raio tatuada no meio da testa, no local exatamente onde a marca da besta será colocada pelo falso profeta. O raio é um dos símbolos do satanismo. Com que propósito o ator principal do filme tem essa particularidade em sua testa? Não seria para que a humanidade, através do filme, fique predisposta a receber a marca da besta?

Um alto sacerdote da Primeira Igreja de Satanás, em Salém, Massachusettes, EUA, declarou sobre o filme:

“Harry é enviado dos deuses para a nossa causa. Uma organização como a nossa prospera com esse sangue novo, e nós temos tido mais pessoas se juntando a nós nestes dias do que podemos lidar, e é claro que a maioria delas é muito jovem ainda é virgem, o que para nós é realmente muito suculento”. (http://webmall.nitnet.com.br).

Blasfêmia contra Deus e Jesus

Uma declaração da autora da série Harry Potter, J. K. Rowling, publicada no Lodon Times, ao ser indagada a respeito da oposição dos cristãos aos seus livros:

“Eu acho que é absolutamente vergonhoso protestar contra livros infantis e alegar que eles estão ludibriando e levando as crianças para Satanás. As pessoas deveriam ser gratas a eles por isso! Esses livros levam as crianças a entender que o fraco idiota Filho de Deus não passa de uma brincadeira vivente e que será humilhado quando a chuva de fogo realmente começar a cair, enquanto isso, nós servos fiéis do Senhor das Trevas, vamos rir e celebrar com danças a nossa vitória”.

Uma menina de nome Ashley Daniels, 9 anos, típica criança americana, leitora de Harry Potter, declarou:

“Antigamente eu acreditava naquilo que aprendia na Escola Dominical, conjurando um antigo encantamento para invocar Cérbero, o cachorro monstruoso de três cabeças que, segundo a mitologia grega, guarda as portas do inferno. O entanto, os livros de Harry Potter mostraram-me que a magia é real, algo que posso aprender a usar agora, e que a Bíblia só contem mentiras enfadonhas” (The Onion Newsletter, edição de julho de 2000).

Indagada por um repórter se ela estava envolvida com bruxaria, respondeu: “Sim, fiz uma série de pesquisas. Cerca de dois terços do que escrevi é da minha própria cabeça, mas a terceira parte do que incluí nos livros é oriunda do folclore inglês – coisas nas quais o povo crê e pratica” (interview com Conmie Neal).

Uma menina de seis anos, de nome Jéssica Lehman, da Carolina do Sul, EUA, quando indagada a respeito do seu personagem favorito declarou: “Hermione é minha preferida, porque ela é esperta e tem um gatinho. Jesus morreu porque ele era fraco e um estúpido” (ib.).

Como se vê, uma criança de apenas seis anos de idade refere-se a Jesus Cristo como “um fraco e um estúpido”. Se ela tivesse sido orientada biblicamente jamais proferia tamanha blasfêmia. Conheceria o que o próprio Jesus declarou sobre sua missão salvadora:

“...o filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos” (Mt 20.28).

“Eu sou o bom Pastor. O bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas. O mercenário, a quem não pertence as ovelhas, não é pastor. De modo que quando vê vir o lobo, deixa as ovelhas e foge... Assim como o Pai me conhece, também eu conheço o Pai, e dou a minha vida pelas ovelhas” (Jo 10.11,12,15).

Um menino de 11 anos, cujo nome é Bradley Winters, declarou: “Os livros de Harry Potter são incríveis! Quando crescer, vou apresentar necromancia e inovar demônios poderosos” (Ib).

Igreja de Satanás

Podemos comparar essas declarações blasfemas contra Deus e seu Filho Jesus Cristo com o que disse o fundador da igreja de Satanás, Anton La Vey, no seu livro “A Bíblia Satânica”: “Molho a ponto do meu dedo indicador no sangue aguado de seu imponente e louco redentor e escrevo e, sua fonte marcada pelos espinhos: Oh! Verdadeiro príncipe do mal – o rei dos escravos” (obra em inglês, p.30).

E continua: “Olho para dentro dos olhos inertes do seu temido Jeová, e puxo-o pelas barbas; erguerei um machado e abrirei seu crânio comido pelos vermes” (Ib.).

“Eis o crucifixo; o que simboliza? Uma pálida incompetência pendurada no madeiro” (Ib., p.31).

Como podemos ver, as blasfêmias são tantas que, para contestá-las, valeria um artigo mais extenso.

Batalha do Armagedon

Os satanistas crêem que, na batalha do Armagedon, Satanás derrotará e aprisionará Jesus Cristo e depois invadirá os céus para apoderar-se do trono de Deus, derrotando totalmente Deus, o Pai, Satanás reinará, então, triunfante para sempre.

A Bíblia declara que Deus se rirá desses blasfemos: “Porque se amotinam os gentios, e os povos imaginaram coisas vãs? Os reis da terra se levantaram e os governos consultam justamente contra o SENHOR e contra o seu ungido, dizendo: Rompamos as suas ataduras, e sacudamos de nós as suas cordas. Aquele que habita nos céus se rirá; o Senhor zombará deles” (Sl 2.1-4).

Embora os satanistas odeiem o livro de Apocalipse, este livro aponta com clareza como será o fim dos que se levantam contra Deus, o Pai, e sei Filho Jesus Cristo.

“E vi o céu aberto, e eis um cavalo branco; e o que estava assentado sobre ele chama-se Fiel e Verdadeiro; e julga e peleja com justiça. E no manto e na sua coxa tem escrito este nome: Rei dos reis, e Senhor dos senhores. E vi um anjo que estava no sol, e clamou com grande voz, dizendo a todas as aves que voavam pelo meio do céu: Vinde, e ajuntai-vos à ceia do grande Deus; para que comais a carne do reis, e a carne dos tributos, e a carne dos fortes, e a carne dos cavalos e dos que sobres eles se assentam; e a carne de todos os homens, livres e servos, pequenos e grandes. E vi a besta, e os reis da terra, e os seus exércitos reunidos, para fazerem guerra àquele que estava sobre o cavalo, e não seu exército. E a besta foi presa, e com ela o falso profeta, que diante dela fizera os sinais com que enganou os que receberam o sinal da besta, e adoraram a sua imagem. Estes dois foram lançados vivos no lago de fogo que arde com enxofre. E vi descer do céu um anjo, que tinha a chave do abismo, e uma grande cadeia na sua mão. Ele prendeu o dragão, e a antiga serpente, que é o diabo e Satanás, e amarrou-o por mil anos. E lançou-o no abismo, e ali o encerou, e pôs selo sobre ele, para que não mais engane as nações, até que os mil se acabem. E depois importa que seja solto por um pouco de tempo. E o diabo que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde está a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre” (19.11, 16-20; 20.1-3,10).

Conselho aos pais

Caros pais, se seus filhos estão lendo os livros da série Harry Potter, você deve tomar uma providência agora, advertindo-os a respeito das influências satânicas nessa série e no filme. Depois das declarações da escritora do seu desenvolvimento com o satanismo, não resta nenhuma dúvida sobre a origem da inspiração de J. K. Rowling.

Alguns pais reclamam não ter conhecimento de textos bíblicos próprios para enfrentar essa batalha espiritual contra as forças demoníacas (Ef 6.12). Mas levemos em consideração os versículos que nos garantem a vitória contra as práticas ocultistas que constituem o enredo do filme em questão. São eles:

“Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação” (2 Tm 1.7).

“Filhinhos, sois de Deus, e já os tendes vencido; porque maior é o que está em vós do que o que está no mundo. Do mundo são, por isso falam do mundo, e do mundo os ouve” (1 Jo 4.4-5).

Devemos incentivar os nossos filhos a memorizarem esses versículos. E também ensiná-los a dizer para seus coleguinhas: “As forças dos bruxos não são assim tão grandes, como descritas nos livros e no filme de Harry Potter, e se vocês se deixarem envolver pelas práticas que Deus detesta, então vocês se tornarão tão vulneráveis como Valdemort”.

O apóstolo Paulo não teve dúvidas em declarar que a magia é de origem diabólica. E repreendeu, sob a autoridade do Espírito Santo, Elimas, o mago, que impedia o procônsul Sérgio Paulo de ouvir o evangelho: “Ò filho do diabo, cheio de todo o engano e de toda a malícia, inimigo de toda a justiça, não cessarás de perturbar os retos caminhos do Senhor? Eis aí, pois, agora contra ti a mão do Senhor; e ficarás cego, sem ver o sol por algum tempo. E no mesmo instante a escuridão e as trevas caíram sobre ele e, andando à roda, buscava a quem o guiasse pela mão” (At 13.10-11).

O exemplo da Avó Loide e da mãe Eunice, com respeito à educação de Timóteo no estudo das Escrituras, deve servir de modelo para os pais de hoje: “E que desde a tua meninice sabes as Sagradas Escrituras, que podem fazer-te sábio, pela fé que há em Cristo Jesus. Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir e, justiça” (2 Tm 1.5;3.15).

O exemplo de Daniel

Daniel, o jovem hebreu levado cativo à corte babilônica, foi conviver com astrólogos, encantadores, magos e caldeus (Dn 2.2). Foi mandado para uma escola de feiticeiros, assim como Harry Potter. Essas práticas – ele sabia – eram condenadas por Deus. Aprendeu sobre ciências ocultas, mas quando o rei Nabucodonosor teve um sonho assombroso e se esqueceu dele e intimou os envolvidos com ciência oculta a contar o sonho e a dar a sua a sua interpretação, Daniel pediu parta ser conduzido à presença do rei e lhe falou: “O segredo que p rei requer, nem sábios, nem astrólogos, nem magos, nem adivinhos o podem declarar ao rei; mas há um Deus no céu, o qual revela os mistérios; ele, pois fez saber ao rei Nabucodonosor o que há de acontecer nos últimos dias; o teu sonho e as visões da tua cabeça que tivesse na tua cabeça que tivesse na tua cama são” (Dn 2.27-28). E aí contou o sonho e deu a sua interpretação. O rei ficou estupefato e declarou: “Certamente o vosso Deus é Deus dos deuses, e o Senhor dos reis e revelador de mistérios, pois pudeste revelar este mistério” (Dn 2.47).

Este é o Deus Todo-Poderoso que os satanistas, como J. K. Rowling e Anton La Vey, desafiam e blasfemam deles afirmando: “Olha para dentro dos olhos inertes do seu temido Jeová, e puxo-o pelas barbas; erguerei um machado e abrirei seu crânio comido pelos vermes”.

Deus de rirá deles! Mandará esses atrevidos para o lago de fogo, para estarem para sempre com o seu chefe, Satanás (Ap 20.10).

Os Trouxas

A palavra trouxas é a tradução do vocabulário inglês mugles, o qual a escritora J. K. Rowling diz ter inventado para denominar os não-bruxos. E deriva de mug, termo usado em 1708 para designar carrancas desenhadas em copos decorados na Inglaterra. (O Estado de São Paulo, caderno 2 de 23-11-2001, p. D3).

“Trouxas” é, pois, alguém que não se envolve com a bruxaria, segunda a escritora.

Diz a Bíblia: “Ai dos que os mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem o amargo doce, e do doce amargo” (Is 5.20). Trouxas, para nós, brasileiros, é sinônimo de bobo, simplório. É como a escritora reputa os que condenam seus livros. Ao contrário, da Bíblia declara que os que se envolvem com a bruxaria cometem abominação diante de Deus e o conselho bíblico é: “Amado, não sigas o mal, mas o bem. Quem faz o bem é de Deus; mas quem faz o mal não tem visto a Deus” ( 3 Jo 11).

O final dessas pessoas que perseveram no mal será a condenação no lago de fogo e enxofre:

“Mas, quanto aos... feiticeiros... a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte” ( Ap 21.8). Isso é repetido em Ap 22.15.

E a Bíblia prossegue: “Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos” Rm 1.22).

“Visto como na sabedoria de Deus o mundo não conheceu a Deus pela sua sabedoria, aprouve a Deus pela salvar os crentes pela loucura da pregação. Porque os judeus pedem sinal, e os gregos buscam sabedoria; mas nós pregamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus, e loucura para os gregos. Mas para os que são chamados, tanto judeus como gregos, lhes pregamos a Cristo, poder de Deus, e sabedoria de Deus. Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a franqueza de Deus é mais forte do que os homens” (1Co 1.21-25).

 

 

 

 


Copyright © 2017 ICP. Todos os direitos reservados.