O CORAÇÃO DO PAI

Conta-se de um rico fazendeiro que tinha um único filho. Ao contrário do pai, o moço não gostava de trabalho nem de compromissos. À semelhança do filho pródigo da parábola de Jesus, esse rapaz gostava de festas e de estar com os amigos, usufruindo os lucros da família.

Seu pai sempre o advertia que seus amigos só estariam ao seu lado enquanto ele tivesse o que lhes oferecer, depois, iriam abandoná-lo. Os insistentes conselhos do pai retiniam em seus ouvidos, mas logo o rapaz se ausentava, sem dar a mínima atenção.

Um dia, o velho pai, já avançado em idade, disse aos seus empregados para construírem um pequeno celeiro e, dentro do celeiro, o próprio pai fez uma forca, e nela uma placa com os seguintes dizeres: “Para você nunca mais desprezar as palavras de seu pai”.

Mais tarde, chamou o filho, o levou até o celeiro e disse:

– Meu filho, já estou velho e, quando eu morrer, quero deixá-lo responsável pela fazenda. Mas, como já sei que você vai acabar falido e solitário, ergui esta forca para você. Quero que me prometa que quando acontecer o que eu disse você se enforcará nela.

O jovem riu, achando que esta era mais uma forma de seu sábio pai chamar a sua atenção. De qualquer forma, para não contrariar seu velho, prometeu atender ao pedido absurdo.

Passaram-se os meses. O velho morreu. O rapaz assumiu tudo. E, como o pai havia previsto, o jovem viveu na gastança. Pobre, perdeu os amigos, a família e a própria dignidade. Desesperado, começou a refletir sobre sua vida. Lembrou-se do seu pai e, chorando, lamentou:

– Ah, meu pai, se eu tivesse ouvido teus conselhos... mas agora é tarde, tarde demais!

Ao longe, avistou o pequeno celeiro e lembrou-se da forca. Era a única coisa que lhe restava.

A passos lentos, dirigiu-se até lá e, querendo fazer a vontade de seu pai, pelo menos uma única vez, subiu nos degraus e pensou: “Ah!, se eu tivesse uma nova chance...”. Colocou a corda no pescoço e pulou. A corda apertou sua garganta, mas logo se ouviu um grande barulho. Era o braço da forca que, por ser oco, quebrou-se facilmente.

O rapaz foi ao chão e sobre ele caíram jóias, esmeraldas, pérolas, diamantes, etc. A madeira estava cheia de pedras preciosas e, entre elas, um bilhete: “Essa é a sua nova chance. Te amo muito!”. Emocionado, ergueu os olhos e leu novamente a placa: “Para você nunca mais desprezar as palavras de seu pai”.

Não é assim sábio e misericordioso conosco o nosso Pai que está no céu? Leia Mateus 7.9-11

 

 

 

 


Copyright © 2017 ICP. Todos os direitos reservados.