O VERDADEIRO PODER

Era uma vez um guerreiro, famoso por sua invencibilidade na guerra. Por ser um homem extremamente cruel, era temido por todos. Quando se aproximava de uma aldeia, os moradores corriam para as montanhas, onde se escondiam do malvado guerreiro. Subjugou muitas aldeias.

Certo dia, alguém viu quando ele se aproximava com seu exército de uma pequena aldeia, onde viviam alguns agricultores e, entre eles, um velhinho, muito sábio.

Quando o pessoal escutou a terrível notícia da aproximação do guerreiro, tratou de juntar o que podia e fugir rapidamente para as montanhas. Só o velhinho ficou para trás, porque não podia fugir. O guerreiro entrou na aldeia e foi cruel, incendiando as casas e matando alguns animais soltos pelas ruas. Até que chegou na casa do velhinho que, ao vê-lo, assustou-se. E, sem piedade, disse ao ancião que os seus dias haviam chegado ao fim, mas que, antes de passá-lo pelo fio de sua espada, lhe concederia um último desejo.

O velhinho pensou um pouco e pediu que o guerreiro fosse com ele até o bosque e ali cortasse o galho de uma árvore. O guerreiro achou aquilo uma besteira. “Esse velho deve estar gagá. Que último desejo mais besta”, pensou o cruel homem. Mas se esse era o último desejo do velhinho, deveria atendê-lo.

E lá foi o guerreiro até o bosque e, com um só golpe de sua espada, cortou o galho de uma árvore. “Muito bem”, disse o velhinho. E prosseguiu: “O senhor cortou o galho da árvore. Agora, por favor, coloque esse galho na árvore outra vez”. O guerreiro deu uma grande gargalhada, chamando o velho de louco, pois todo mundo sabe que isso não é possível: colocar o galho cortado na árvore outra vez. O velhinho então lhe respondeu: “Louco é você que pensa que é poderoso só porque destrói as coisas e mata as pessoas que encontra pela frente. Quem só sabe destruir e matar, esse não tem poder. Poder tem aquela pessoa que sabe juntar, que sabe unir o que foi separado, que faz reviver o que parece morto. Essa pessoa tem o verdadeiro poder”.

Com razão disse esse velho sábio, pois quando nos lembramos do nosso Mestre, vemos que Ele era poderoso por trazer vida onde havia morte e destruição: “E percorria Jesus todas as cidades e aldeias, ensinando nas sinagogas deles, e pregando o evangelho do reino, e curando todas as enfermidades e moléstias entre o povo” (Mt 9.35).

 

 

 

 


Copyright © 2017 ICP. Todos os direitos reservados.