Famílias cristãs são agredidas na Índia

Extremistas hindus agrediram fisicamente onze famílias cristãs que se recusaram a negar sua fé. O fato ocorreu em 16 de maio, em Jamanya, uma vila do distrito de Jalgaon, no Estado de Maharashtra, Índia. Segundo consta, tanto as mulheres (que quase foram despidas pela multidão) quanto as crianças também foram espancadas.

Dia antes, oficiais convocaram as famílias cristãs de Jamanya para o panchayat, uma corte comunitária. Na reunião, ouviram que deveriam renunciar a sua fé em Jesus para o bem comum da vila, sendo acusadas de trazer má sorte à localidade por causa da fé cristã que professavam. E foram duramente ameaçados pelos oficiais.

Como não renunciaram à fé, a multidão, por volta das 15h30, fez que os homens saíssem da vila e, enquanto corriam, alguns foram capturados pelos agressores e espancados com bastões pesados. Ao voltarem após anoitecer, depararam-se com alguns moradores hindus armados vigiando as casas dos cristãos. Então, tiveram de fugir novamente, desta vez para outras vilas, onde pudessem encontrar abrigo.

Foi então que, no dia 16, a multidão, enraivecida por causa da fuga dos homens, pegou mulheres e crianças como alvos. Alguns meninos e meninas não agüentaram os duros golpes e desmaiaram. Como se não bastasse, a multidão também tentou despir as mulheres.

Enquanto isso, os homens fizeram contato com outros cristãos da região que os levaram ao distrito policial de Yawal. Lá, registraram uma reclamação contra os líderes da corte comunitária. Mas os oficiais da vila também registraram, no mesmo distrito, uma queixa contra os cristãos, acusando-os de forçar conversões e perturbar a paz.

Compass conversou com o inspetor de polícia responsável pelo caso e ele confirmou que de fato as duas queixas foram registradas. Todavia, os processos ainda não tinham sido abertos. Somente com a abertura dos processos as investigações podem ser iniciadas.

Tanto as vítimas (os cristãos) quanto os reclamantes (os hindus) foram convocados a comparecer no distrito policial para prestar depoimento. Como medida de segurança, um pequeno reforço policial foi designado à vila para manter a lei e a ordem.

Um cristão da vila disse ao Compass que a agitação contra a comunidade cristã começou há três anos. Em 2003, as famílias cristãs tinham de pagar uma multa de 250 dólares por causa de sua fé. Depois, houve um período de paz relativa, até o incidente do dia 16 de maio.

Os conselhos Vishwa Hindu Parishad e Bajrang Dal – conhecidos por sua hostilidade e violência contra os cristãos – têm forte influência no distrito de Jalgaon. Sattar Singh, líder da vila de Jamanya, o incentivador dos ataques iniciados no dia 15 contra a pequena comunidade cristã, também tem ligações com o nacionalista hindu Bharatiya Janata.

A polícia está apenas começando as investigações, mas os cristãos disseram que não hão de desistir até conseguirem obter uma solução para o problema de hostilidade e violência que vêm enfrentando nos últimos três anos.

 

 

 

 


Copyright © 2017 ICP. Todos os direitos reservados.