Igreja e pastor sofrem ataques de extremistas hindus na Índia

O fato ocorreu no dia 18 de junho deste ano, num domingo.
A igreja Hossana, em Kosa Nala, na província Bhilai, do Estado de Chattisgarh, foi arrombada pelos extremistas hindus. O pastor David Raj foi atacado, juntamente com sua esposa, Ratna Jyoti, e outros membros.

Como tudo aconteceu

Por volta das 10h30, o pastor David estava pregando quando vinte homens, aproximadamente, entraram na igreja de Kosa Nala, uma cidade muito pobre que abriga cerca de quinhentas famílias vindas de Andhra Pradesh, uma cidade vizinha. Dessas famílias, 450 são hindus. As restantes são cristãs.

Os intrusos, depois de pegarem a Bíblia e o telefone celular do pastor, começaram a agredi-lo. Não satisfeitos, colocaram um pneu de borracha ao redor do pescoço do pastor e tentaram queimá-lo vivo. Sua esposa também foi violentamente agredida.

“Quando viram que não iriam conseguir realizar o que queriam, intensificaram a agressão ao pastor e, depois, entregaram-no à polícia”, disse Arun Pannalal, secretário-geral do Fórum Cristão de Chattisgarh.

Ao chegar à delegacia de polícia, o pastor foi detido imediatamente. Sua esposa foi presa no final daquela noite.

Na segunda-feira, dia 19, os dois compareceram diante de um juiz e foram acusados de estarem realizando conversões forçadas, praticando atos maliciosos e deliberados com a intenção de afrontar os sentimentos religiosos e promovendo inimizade entre os diferentes grupos religiosos.

O magistrado, inicialmente, rejeitou a solicitação de fiança. O casal só foi solto quatro dias depois, mais precisamente no dia 22, quando o juiz resolveu aceitar a fiança, conforme fontes da agência de notícias Compass. Mas os três agressores que também foram detidos alcançaram a liberdade imediatamente após o pedido de fiança.

Testemunhas forjadas

Fontes locais disseram que duas mulheres foram enganadas ao assinar uma declaração acusando David e sua esposa de lhes oferecerem dinheiro e uma motocicleta se elas se convertessem ao cristianismo. A polícia disse às mulheres que elas estavam assinando apenas uma declaração que admitia sua presença na igreja naquela manhã.

Arun considerou ridículas as acusações de conversões forçadas. Segundo ele, o pastor e sua esposa eram extremamente pobres e não tinham condições de fazer tal oferta às mulheres.

Harcharan Singh Josh, membro de uma equipe investigadora da Comissão Nacional pelas Minorias, contou aos repórteres, no dia 17, que os ataques contra as minorias tinham aumentado nitidamente nos últimos meses, tanto em Chattisgarh como no Estado vizinho de Madhya Pradesh.

Chattisgarh fazia parte do Estado de Madhya Pradesh, mas se tornou independente em 2005. Nos dois Estados, vigoram leis chamadas de Atos de Liberdade Religiosa, também conhecidas como “leis anticonversão”, que proíbem conversões feitas por meio de imposição, aliciamento, persuasão e fraude. Mas, enquanto tais leis proíbem a conversão dos hindus às outras religiões, a “reconversão” das castas hindus mais baixas é permitida.

Oremos pela Índia!

Fonte:

Portas Abertas
(11) 5181-3330
atendimento@portasabertas.org.br
www.portasabertas.org.br

 

 

 

 


Copyright © 2017 ICP. Todos os direitos reservados.