Apologética



Testemunhas de Jeová - Parte IX – A Trindade


Uma das doutrinas mais criticadas pelas TJs é a doutrina da Trindade. Admitem que a doutrina é de origem satânica, e que, pelo fato de negarem essa doutrina, podem ser tidos como integrantes da única religião verdadeira sobre a face da terra. Vangloriam-se disso e é o primeiro assunto que gostam de conversar quando se deparam com crentes evangélicos no seu trabalho de casa em casa. Não perdem a oportunidade de ridicularizar a doutrina. Existem TJs que discordam de outras doutrinas da Torre de Vigia e quando se afastam da organização, só pelo fato de ouvirem tantas críticas contra a Trindade, preferem manter-se afastadas de qualquer grupo religioso que tem como crença essa doutrina.

OS ESPÍRITAS NEGAM A TRINDADE

Seriam as TJs as únicas a rejeitarem a doutrina da Trindade? É certo que não. Por exemplo: os espíritas negam peremptoriamente a doutrina da Trindade e o pior é que utilizam os mesmos argumentos usados pelas TJs. Os espíritas assim se manifestam sobre a Trindade:

Essa concepção trinitária, tão obscura, tão incompreensível, oferecia, entretanto, grande vantagem às pretensões da Igreja. Permitia-lhe fazer de Jesus Cristo um Deus. Conferia ao poderoso Espírito, e que ela chama seu fundador, um prestígio, uma autoridade, cujo esplendor sobre ela recaía e assegurava o seu poder (“Cristianismo e Espiritismo”, p. 73).

O pior é que as TJs reconhecem que o espiritismo é um meio de entrar em contato com espíritos iníquos, quer diretamente, quer por meio de um médium humano. O espiritismo faz a pessoa cair sob a influência dos demônios (“Poderá Viver Para Sempre no Paraíso na Terra”, 1983, p. 95/13).

Quem orienta o Corpo Governante nessa ojeriza de criticar a doutrina da Trindade? Estariam elas orientadas realmente pelo Espírito Santo, quando negam a sua personalidade, ou estariam sendo orientadas pelos espíritos enganadores mencionados por Paulo em 1 Tm 4.1?

Sarcasticamente se referem à Trindade afirmando: ...Satanás deu origem à doutrina da ‘Trindade (“Seja Deus Verdadeiro”, p. 81).

AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ CRÊEM:

a) que não existe pluralidade de pessoas na Divindade:

Dizem: Pode alguém ser o único Deus, somente (ele ser) verdadeiro Deus, se houver mais dois outros que são Deus no mesmo grau que ele? Quaisquer outros referidos por deuses devem ser falsos ou meramente um reflexo do verdadeiro Deus (“Raciocínios à Base das Escrituras”, p. 403).

Para serem consistentes com esse ensino negativo da Trindade, afirmam:

b) que Jesus é o Arcanjo Miguel, a primeira criação de Deus:

Conhecido como Miguel, e também é conhecido por esse nome desde que retornou ao céu, onde reside como o glorificado Filho espiritual de Deus (“Raciocínios”, p. 210).

Não tem limites o desejo de agravar a pessoa augusta de Jesus. Com o título QUEM SÃO OS ANJOS, as TJs fazem a seguinte declaração sobre Jesus:

O anjo mais importante, tanto em poder como em autoridade, é o arcanjo, Jesus Cristo, também chamado de Miguel (“A Sentinela”, 1o de novembro de 1995, p. 8). Alguém já leu na Bíblia coisa parecida com essa blasfêmia, arcanjo, Jesus Cristo... também chamado de Miguel? O que lemos em Hb 1.5: Pois a qual dos anjos disse jamais: Tu és meu Filho, eu hoje te gerei? Como falar de Jesus como o arcanjo Jesus Cristo? Seguindo sua linha de raciocínio, não à base da Bíblia como pretendem, mas à base do raciocínio humano do homem natural (1 Co 2.14) afirmam blasfemamente de Jesus: Mas, não é Jesus chamado de deus na Bíblia? Poderá perguntar alguém. Isto é verdade? Contudo, Satanás também é chamado de deus (2 Co 4.4). (“Poderá Viver Para Sempre no Paraíso na Terra”, 1983, p. 40/16).

A ojeriza das TJs é tanta que o identificam com Abadon ou Apolion, o anjo do abismo:

Leiamos: Jesus, como ‘anjo do abismo’ e ‘Destruidor’, deveras soltará um ai atormentador sobre a cristandade (“REVELAÇÃO, Seu Grandioso Clímax Está Próximo!”, p. 148 STV).

c) que o Espírito Santo não passa de uma força ativa impessoal:

Dizem: Seu espírito santo, que é a sua invisível força ativa, pode ser sentido em toda a parte, em todo o universo.

Resposta Apologética:

DEFINIÇÃO DA TRINDADE

Cremos em um só Deus eternamente subsistente em três pessoas: O Pai, o Filho e o Espírito Santo. Estas três pessoas constituem um só Deus; o mesmo em natureza; iguais em poder a glória. Assim, o Pai é Deus; o Filho é Deus e o Espírito Santo é Deus.

No seu afã de ridicularizar a doutrina da Trindade, fazem a seguinte declaração: Dizem: se 1+1+1=3, como é que Deus Pai, Deus Filho e, Deus Espírito Santo não são três deuses? Ora, na mesma linguagem popular podemos responder: 1+1+1= 3, mas 1x1x1= 1. Assim se desfaz a objeção mal concebida (“A Santíssima Trindade”, p. 16).

Na A Sentinela de 1o de novembro de 1991 há um artigo com o título Ensinava a Primitiva Igreja que Deus é uma Trindade? Procuravam transmitir a idéia de que a doutrina da Trindade passou a ser ensinada a partir de Constantino no Concílio de Nicéia em 325 a.D. Ora, como pode ser aceita tal assertiva se a palavra Trindade (trias, em grego) aparece pela primeira vez nos escritos de Teófilo de Antioquia, quase 200 anos antes de Constantino?

As TJs ainda objetam que a palavra Trindade não aparece na Bíblia. Mas elas não sentem nenhum problema quando utilizam a palavra ‘organização’ para indicar ser a única organização visível de Deus na terra, que também não aparece na Bíblia.

BASE BÍBLICA:

As três pessoas citadas isoladamente:

Existe um só Deus: Dt 6.4 (unidade composta)

O Pai é Deus: 1 Pe 1.2

O Filho é Deus: Jo 1.1; 20.28; 1 Jo 5.20

O Espírito Santo é Deus: At 5.3-4.

NOTA: Sobre a nossa crença de que Jesus e Jeová constituem o mesmo Deus (Jo 10.30-33), embora pessoas distintas, até nesse particular as TJs estão de acordo conosco, que cremos na Trindade, quando dizem:

UNIFICARÁ TODA A CRIAÇÃO NA ADORAÇÃO DO ÚNICO DEUS VERDADEIRO

Rev. 5.13... E toda criatura que está no céu, e na terra, e debaixo da terra, e no mar, e todas as coisas neles, eu ouvi dizer: Ao que está sentado no trono (Jeová Deus) e ao Cordeiro (Jesus Cristo seja a bênção, e a honra, e a glória, e o poderio para todo o sempre (“Raciocínios à Base das Escrituras”, p. 300). Logo, se vêem duas pessoas recebendo conjuntamente a mesma adoração: Jeová Deus, o Pai e o Cordeiro (Jesus Cristo) e o título afirmando que se trata do único Deus Verdadeiro. E isso o que exatamente dizemos.

Indica o Antigo Testamento haver pluralidade de pessoas na Divindade? Sim!

As Três Pessoas citadas conjuntamente:

Gn 1.26; 3.22;11.7,9;18.1-3,17, 20, 26-27, 31, 33;19.1, 24; Is 6.1-3, 8; Isaías disse que viu a Deus (Jeová) no versículo 1. João, falando de Jesus, disse que Isaías viu a Jesus quando viu a Jeová (Jo-12.41) Isaías disse que ouviu a voz de Deus (v 8) e Paulo diz que quando Isaías ouviu a voz de Deus, ele ouviu a voz do Espírito Santo At 28.25-27; Is 48.16; Zc 2.8-11.

NOTA: Algumas vezes as TJs alegam que o plural de Gn 1.26 se trata de plural de majestade e não pluralidade de pessoas, como afirmamos. Entretanto, como as mudanças doutrinárias são comuns entre elas, o novo manual “CONHECIMENTO Que Conduz à Vida Eterna”, na p. 39/12 diz: João 1.1 diz que ‘a Palavra’ (Jesus na sua existência pré-humana) estava com Deus ‘no princípio’. De modo que a Palavra estava com Jeová quando ‘os céus e a terra’ foram criados. Deus se dirigiu à Palavra quando disse: Façamos o homem à nossa imagem (Gn 1.1, 26).

Indica o Novo Testamento Haver Pluralidade de Pessoas na Divindade? Sim!

Mt 3.16-17; 28.19; 1 Co 12.4-6; 2 Co 13.13; Ef 4.4-6.

JESUS E MIGUEL SÃO PESSOAS DISTINTAS

Jesus é Deus (Jo 1.1) e Miguel é anjo (Jd 9), na hierarquia de arcanjo;

Jesus é o Criador (Jo 1.3) e, Miguel é criatura espiritual criado pelo próprio Jesus (Cl 1.16-17);

Jesus é o Rei dos reis (Ap 17.14; 19.16) e Miguel é um dos primeiros príncipes, havendo outros como ele (Dn 10.13);

Jesus é adorado pelos próprios anjos (Hb 1.6) e, Miguel não pode ser adorado (Ap 22.8-9);

Jesus é o defensor ou Advogado de todos os homens (1 Jo 2.1-2) e Miguel é especificamente defensor do povo judeu (Dn 12.1).

A VERDADEIRA IDENTIDADE DE JESUS

As TJs gostam de intitular-se Testemunhas Cristãs de Jeová. Mas, quem diria que nessa pretensão de serem testemunhas cristãs a Testemunhas de Jeová, se colocam por Jeová e contra Cristo? Ora, isso é o cúmulo da contradição. A luta anticristã das TJs constitui uma verdadeira tragédia semelhante àquela de Saulo de Tarso quando denodadamente lutava contra Jesus e os cristãos. Saulo, como Testemunha de Jeová, pensava que servia a Deus, como as atuais TJs. Exaltava a Jeová atacando a Jesus. Saulo considerava Jesus como simples criatura humana; e como os cristãos criam a pregavam outra coisa, Saulo perseguia-os (At 26.9-16). As TJs procedem como os fariseus que não admitiam que Jesus era Deus verdadeiro (Jo 5.18; 8.58-59; 10.30-33) e que reclamava para si honra igual a de Deus Pai (Jo 5.23). Quando as TJs pararão de perseguir a Jesus com suas publicações?

PERGUNTAS:

É Jesus o Salvador?

Jeová é o Salvador Is 43.11; 45.21; Os 13.4.

Jesus é o Salvador Tt 1.3-4; 2.13; 3.4,6; 2 Pe 1.1.

Jesus Tem Autoridade para Perdoar Pecados?

Jeová perdoa pecados Is 43.25.

Jesus perdoa pecados Mc 2.5-10; Lc 5.21-25;1 Co 8.12; Ef 4.32.

É Jesus Onisciente?

Jeová é onisciente 1 Rs 8.39.

Jesus é onisciente Mt 9.4; Cl 2.3.

É Jesus Onipresente?

Jeová é onipresente Jr 23.23-24.

Jesus é onipresente Mt 18.20; 28.20.

É Jesus Eternamente Preexistente?

Jeová é eterno Sl 90.2.

Jesus é eterno Mq 5.2; Jo 1.1; 8.58; Cl 1.17; Hb 7.3.

Jesus Pode Mudar?

Jeová é imutável Ml 3.6.

Jesus é imutável Hb 1.8-10; 13.8.

É Correto Servir a Jesus?

Jeová é servido Mt 4.10.

Jesus é servido Jo 12.26; Rm 1.1; G1 1.10; Fp 1.1; C1 3.24; Tg 1.1; Jd 1; Ap 22.3.

É Correto Orar a Jesus?

Devemos orar a Jeová Mt 6.9.

Podemos orar a Jesus At 7.59-60; 9.14,20-21; 22.16-19; Rm 10.9-10,13; 1 Co 1.2; Ap 22.20.

É Correto Dar Glória a Jesus?

Jeová proíbe glória a outrem Is 42.8; 48.11.

Jesus recebe glória Jo 1.14; 5.22-23; 11.4; 13.31-32; 16.13-15; 17.5; Fp 2.9-11; 2 Pe 3.18; Ap 5.11-12.

É Correto Adorar a Jesus?

Jeová deve ser adorado Dt. 6.13.

Jesus deve ser adorado Mt 2.11; 14.33; 28.9,17; Jo 9.38; Hb 1.6; Fp 2.9-11.

NOTA: Jesus é adorado e os tais que o fizeram nunca foram repreendidos. Um anjo é adorado duas vezes e João foi repreendido pelo seu ato repetido Ap 19.10; 22.8-9. Pedro foi adorado por Cornélio e este foi repreendido por Pedro At 10.25-26.

Embora afirmem as TJs que só Jeová deve ser adorado, elas reconhecem que Jesus é adorado. No livro “Raciocínios à Base das Escrituras”, p. 215 se lê a seguinte pergunta: Será que o fato de se prestar adoração a Jesus prova que ele é Deus? Em Hebreus 1. 6, os anjos são instruídos a ‘adorar’ e, Jesus, de acordo com as traduções ALA, BJ, CBC, BV e So. Ora, nós indagamos: se elas reconhecem, de fato, que Jesus é adorado, esse fato de Jesus ser adorado, já não é uma resposta afirmativa à sua pergunta se Jesus é realmente Deus? Se só Deus deve ser adorado a Jesus, de fato, é adorado, conclui-se indubitavelmente que Ele é Deus (Mt 4.10; Hb 1.6).

É Jesus Senhor?

Jeová é Senhor Dt 6.4.

Jesus é Senhor Jo 20.28; Ef 4.4-5; Rm 10.9-10;1 Co 12.3.

É Jesus o Filho de Deus?

Como foi entendida pelos seus ouvintes a declaração de Jesus de ser o Filho de Deus? Jo 5.18; 10.28-33.

É Jesus Deus Verdadeiro?

Jeová é Deus verdadeiro Dt 32.36,39; 43.10; 44.6.

Jesus é Deus verdadeiro Ap 1.17-18; 2.8; 22.13, 16, 20; Is 7.14; Mt 1.21-23; Jo 5.19; 20.28; 1 Jo 5.20.

Como Deus Verdadeiro Jesus É chamado Jeová?

O Pai é chamado Jeová Zc 2.8-11; 11.12-13; 12.1,10; 14.5.

Jesus é chamado Jeová Mt 3.1-3 comparado com Is 40.3; Ap 1.17-18; 2.8; 22.13.

NOTA: Na TNM, com relação a Rm 10.9 no rodapé da página 1307, lê-se:

9 Gr.: Kyrios; hebr.: há’adhón, o Senhor. o Senhor. No apêndice da mesma TNM, página 1508 se informa o sentido dessa expressão, dizendo: ‘O uso do artigo definido antes do título’ A-dhóhn limita a aplicação deste título exclusivamente a Jeová Deus. Como sabemos, Rm 10.9 se refere a Jesus.

As TJs ainda corroboram com o nosso ponto de vista quando afirmam: Nas Escrituras Hebraicas há versículos sobre Jeová citados no ‘Novo Testamento’ num contexto que fala sobre o Filho (Is 40.3; Mt 3.3; Jo 1.23; Jl 2.32; Rm 10.13; Sl 45.6-7; Hb 1.8-9) (“A Sentinela”, 1-11-1978, p. 12).

Os títulos a atributos apresentados aqui demonstram que Deus a Jeová são nomes polissêmicos. Para conhecermos o contexto é necessário analisar com cuidado a quem se refere: ao Pai, ao Filho ou ao Espírito Santo, uma vez que as três pessoas são chamadas de Deus a Jeová. Por causa destes atributos a títulos atribuídos igualmente ao Pai e ao Filho, é que os unicistas ou unitarianos defendem sua doutrina. Por isso tomamos o cuidado de apresentar parte do Credo Atanasiano: ...que adoremos um Deus na Trindade, e a Trindade na unidade; Não confundindo as Pessoas, nem separando e Substância. Pois existe uma única Pessoa do Pai, outra do Filho e outra do Espírito Santo. Mas a deidade do Pai, do Filho e do Espírito Santo é toda uma só: a glória é igual e a majestade é co-eterna... E nessa Trindade nenhum é antes, ou depois do outro; ninguém é maior ou menor do que outro. Mas todas as três Pessoas são juntamente co-eternas e co-iguais; de tal modo que, em todas as coisas, foi dito, a Unidade na Trindade e a Trindade na unidade devem ser adoradas.


  • Leia também


    Bíblia Apologética com Apócrifos Série Apologética Curso de Teologia On-line Curso Básico de Teologia Curso Médio de Teologia Curso Bacharel de Teologia

    © 2017 - 2020 ICP - Instituto Cristão de Pesquisas. Todos os direitos reservados.

    Ícones feitos por Freepik from www.flaticon.com