Apologética



Adventistas do Sétimo Dia – Parte VI – A natureza pecaminosa de Jesus


Diz EGW: Por quatro mil anos estivera a raga a decrescer em forças físicas, vigor mental a moral; a Cristo tomou sobre Si as fraquezas da humanidade degenerada. Unicamente assim podia salvar o homem das profundezas de sua degradação (“O Desejado de Todas as Nações”, Ellen Gould White. Editora CPB. 37a edição, p. 82). Outro livro adventista Estudos Bíblicos, (CPB. Edição 1979, pp. 140/41) confirma esse ensino da natureza pecaminosa de Jesus, dizendo: Em sua humanidade, Cristo participou de nossa natureza pecaminosa, caída. De sua parte humana, Cristo herdou exatamente o que herda todo o filho de Adão — uma natureza pecaminosa.

Resposta Apologética:

Incrível! Os adventistas admitem um salvador com uma natureza pecaminosa. Um salvador com uma natureza humana degenerada! Pode Jesus realmente salvar-nos com uma natureza humana pecaminosa? Jesus foi concebido sem pecado como lemos em Mt 1.18-23. José tencionava abandonar Maria, secretamente, quando a viu grávida, mas foi informado, em sonhos, para não fazê-lo, pois o que nela estava gerado era do Espírito Santo. O mesmo se lê em Lc 1.30-35 quando o anjo Gabriel informou que ela conceberia virginalmente. O Jesus da Bíblia era santo, inocente, imaculado (Hb 7.26). Não se pode negar a real natureza humana de Jesus: sentia fome, sede, cansaço, sono, derramou sangue e suor. Era um homem completo no sentido físico e negar a natureza humana de Jesus é estar mancomunado com o anticristo (1 Jo 4.1-3; 2 Jo 7). Não podemos ir ao extremo a ensinar que Ele tinha natureza humana caída, pecaminosa como a nossa. E outro Jesus (2 Co 11.4).


  • Leia também

    Bíblia Apologética com Apócrifos Série Apologética Curso Teologia Online Curso Básico de Teologia Curso Médio de Teologia Curso Bacharel de Teologia
    Contato
    Siga

    © 2017 - 2020 ICP - Instituto Cristão de Pesquisas. Todos os direitos reservados