Apologética



Adventistas do Sétimo Dia – Parte VIII – Os dois Concertos


Os Adventistas do Sétimo Dia insistem em dizer que a lei - o decálogo para eles – é obrigatória para todos os cristãos. E assim perguntam: Por que os cristãos guardam apenas nove mandamentos da lei quando a lei são os dez mandamentos? Citam a seguir Tg 2.10 para afirmar que os cristãos são transgressores da lei porque não guardam o sábado do quarto mandamento.

Resposta Apologética:

Os Dez Mandamentos faziam parte do Antigo Concerto que abrangia os cinco livros da Bíblia conhecidos como o Pentateuco com 613 mandamentos a não apenas dez — Dt 4.12-13; 9.8; Êx 34.27-28. O Antigo Concerto foi abolido por Cristo. Vejamos as provas:

O Antigo Concerto foi dado a Israel na saída do Egito, junto ao monte Sinai – Êx 19.1-6; Hb 9.18-20. O povo Israelita, por sua vez, aceitou as condições do Antigo Concerto e assim foi firmado entre Deus a Israel – Ex 24.1-8. Logo, o concerto foi feito entre Deus a Israel: Deus propôs- Ex 19.3,6 — Israel aceitou – Ex 24.3-8 e não todos os homens – Sl 147.19-20. Como o povo não guardou o concerto, apesar de ter prometido que assim o faria, Deus prometeu um Novo Concerto – Jr 31.31-34; Zc 11.10; Mt 27.3-10; Jr 3.16. Este Novo Concerto foi estabelecido por Jesus, como declara o escritor de Hebreus. Lemos isso em Hb 8.6,13; 10.7-9. Também em 2 Co 3.3-14 Paulo reitera a abolição do Antigo Concerto.

Façamos as seguintes considerações:

a. A promessa de Deus foi cumprida e o Novo Concerto foi anulando o Antigo Concerto foi estabelecido;

b. Israel rejeitou a Jesus, o mediador do Novo Concerto, e agora foi o Novo Concerto tornado internacional – Jo 1.12; Gn 12.3;

c. O Novo Concerto é melhor que o Antigo Concerto e está contido em melhores promessas – Hb 8.6;

d. O primeiro era repreensível – Hb 8.7; isto é, não alcançou o fim desejado;

e. Este Concerto Novo é melhor, pois está escrito no coração – Hb 8.10-11;

f. Sendo estabelecido o Novo Concerto, o primeiro envelheceu – Hb 8.13 e foi posto de lado e com ele certamente o sábado que lhe é parte integrante – Cl 2.16-17;

g. Hb 12.18-24 falando aos crentes em Jesus diz que eles não chegaram ao monte Sinai (onde foi dado o primeiro concerto), mas ao monte Sião através de Jesus, o mediador de uma Nova Aliança;

h. O mesmo é repetido em Gl 4.21-26 na tipologia entre as duas mulheres de Abraão, Sara e Agar. A figura empregada de lançar fora a escrava Agar significa lançar fora o Antigo Concerto. Logo, o sábado e outros preceitos cerimoniais como comer, guardar dias de festa, lua nova eram parte integrante desse concerto e não são mais obrigatórios para o cristão.

OUTROS ARGUMENTOS

Os Adventistas do Sétimo Dia costumam argumentar da seguinte maneira para dar sustentação à guarda do sábado:

Podemos então matar? Cobiçar a mulher do próximo? E assim fazem com todo os Dez Mandamentos. A resposta óbvia do cristão é: Não! Não, a cada mandamento citado. Depois continuam eles com ar triunfante: E podemos quebrar o sábado. Esperam eles que, como dissemos a cada mandamento citado um não, logo no sábado e nossa resposta deveria ser Não. Entretanto, podemos responder afirmativamente, Sim! Podemos violar o sábado. Aí eles se surpreendem e indagam: Mas como se sua resposta foi negativa para nove mandamentos que não devem ser violados? Por que afirma para o quarto mandamento, sim, que pode ser violado? Aí tomamos a palavra e repetimos a mesma indagação deles, mas antes fazendo a leitura de Mt 12.5: Ou não tendes lido na lei que, aos sábados, os sacerdotes no templo violam o sábado, e ficam serra culpa? Depois do que perguntamos: Os sacerdotes podiam matar no templo e ficar sem culpa? Podiam roubar? podiam adorar ídolos? E eles sempre respondem não!

Então consideramos: podiam violar o sábado e ficar sem culpa? Aí o adventista não dá resposta. E por quê? Porque Jesus ensinou que aos sábados os sacerdotes violavam o sábado para atender as exigências dos sacrifícios: a) rachavam lenha; b) carregavam água; c) acendiam fogo, o que era vedado pela lei.

Ora, se o sábado fosse de natureza moral, poderia ficar subordinado aos sacrifícios e holocaustos que eram preceitos rituais? Naturalmente se isto acontecia era porque sua natureza era inferior, cerimonial ou ritual, pois não é possível uma lei moral ficar subordinada a uma lei cerimonial. Agora, se os sacrifícios foram abolidos – Jo 19.30; Mt 19.30; Hb 7.12-18, obviamente o sábado também.


  • Leia também

    Bíblia Apologética com Apócrifos Série Apologética Curso Teologia Online Curso Básico de Teologia Curso Médio de Teologia Curso Bacharel de Teologia
    Contato
    Siga

    © 2017 - 2020 ICP - Instituto Cristão de Pesquisas. Todos os direitos reservados