Apologética



Maçonaria – Parte 09 – A Bíblia na Maçonaria


A maçonaria se vangloria de honrar a Bíblia como a Palavra de Deus.

Ensina que a Bíblia é a grande luz da maçonaria, recomendando aos maçons que a estudem regularmente. A maçonaria ensina que as três grandes luzes são: a luz da Bíblia, a luz do Esquadro e a luz do Compasso. A maçonaria realmente crê na Bíblia, mas somente como um símbolo da vontade de Deus e não como fonte de ensinamento divino.

Disse Coil: A opinião maçônica prevalecente é que a Bíblia constitui apenas um símbolo da vontade, lei ou revelação divina, e não que seu conteúdo é lei divina, inspirada ou revelada.

Vemos no “Dicionário da Maçonaria”, p. 122, que a decoração da loja maçônica é constituída de Volume da Ciência Sagrada, o Esquadro e o Compasso. Entretanto, não só a Bíblia é reconhecidamente o Volume da Ciência Sagrada, mas os livros de outras religiões também são aceitos como tais. Entre eles estão o Alcorão, o Tripitaka, os Vedas, o Livro de Mórmon etc.

Torna isso evidente que a Bíblia não é usada na maçonaria como regra de fé a prática. A Bíblia, assim como a bandeira, é um símbolo. A bandeira é apenas um pedaço de pano, porém representa coisas importantes para um povo, como a sua liberdade. Para os maçons, a Bíblia é apenas um livro sem valor no seu texto, porém que representa a Palavra de Deus, e isso mesmo só nos lugares onde predomina o Cristianismo. Se considerarmos, por exemplo, a loja de Utah, EUA, a Palavra de Deus está representada pelo Livro de Mórmon; se considerarmos a Índia, o símbolo são os Vedas; nos países da Arábia o Alcorão, e assim por diante.

Disto se pode ver que o propósito da maçonaria é usar o temor e o reconhecimento de várias escrituras para obter o juramento de fidelidade à maçonaria sob a autoridade do livro que o maçom considera sagrado e com o qual se compromete a obedecer ao que mandar a maçonaria.

Em suma, para a maçonaria, a Bíblia é apenas um símbolo, uma peça decorativa e que não deve ser seguida, pois não é a literal vontade de Deus, por isso não deve ser obedecida.

Considera ainda que alguns dos relatos bíblicos não passam de lenda: Sua lenda (Jonas) muito se assemelha a Musarus Oannes, de tradição caldéia, que surgiu do Mar Eritreu e aportou entre os primitivos babilônios durante o reinado do antediluviano Ammenon.

Resposta Apologética:

Como o Cristianismo Recebe a Bíblia?

O Senhor Jesus Cristo, a maior autoridade no céu e na terra (Mt 28.18), disse que a Bíblia é a Palavra de Deus (Mc 7.13) e não, simplesmente, um símbolo ou uma alegoria. A Bíblia é para ser obedecida como a Palavra de Deus (Is 8.20), pois são livros inspirados por Deus (2 Tm 3.16-17). Isto é enfatizado repetidamente nas Santas Escrituras, enquanto a maçonaria nega a Bíblia como a literal Palavra de Deus.

Jesus disse mais sobre a Bíblia: E a Escritura não pode ser anulada (Jo 10.35). Santifica-os na verdade, a tua palavra é a verdade (Jo 17.17). Nem só de pão vive o homem, mas de toda a Palavra que sai da boca de Deus (Mt 4.4). Porque lhes dei as palavras que tu me deste; a eles e receberam, e têm verdadeiramente conhecido que sai de ti; e creram que me enviaste (Jo 17.8). O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar (Mt 24.35). Quem me rejeitar a mim, e não receber as minhas palavras, já tem o que julgue; a palavra que tenho pregado, essa o há de julgar no ultimo dia (Jo 12.48).


  • Leia também


    Bíblia Apologética com Apócrifos Série Apologética Curso de Teologia On-line Curso Básico de Teologia Curso Médio de Teologia Curso Bacharel de Teologia
    Contato
    Siga

    © 2017 - 2020 ICP - Instituto Cristão de Pesquisas. Todos os direitos reservados


    Ícones feitos por Freepik from www.flaticon.com