Apologética



Espiritismo – Parte 20 – Respostas apologéticas às objeções espíritas contra a deidade absoluta de Jesus Cristo.


a) Em nenhuma parte do Novo Testamento encontramos Jesus afirmando formalmente que era Deus.

Resposta Apologética:

O que Jesus nunca disse foi: Eu sou Deus Pai. Repete várias vezes ser Filho de Deus e igual a Deus (João 5.16-18; 8.58; 10.30-33).

b)Jesus mesmo declarou que é inferior ao Pai (João 14.28).

Resposta Apologética:

Em Cristo havia duas naturezas perfeitas: divina e humana: 100% Deus e 100% homem. Jesus é verdadeiramente Deus (e como tal pode dizer – João 14.8-10 – Quem me vê a mim vê o Pai...); e verdadeiro homem. Como homem, é menor do que o Pai (e como tal disse: o Pai é maior do que eu).

c)Jesus falava do Pai que o havia enviado. Quem envia é maior, superior.

Resposta Apologética:

Teimam os espíritas em ignorar que Jesus tinha também uma natureza humana verdadeira e completa, na qual era evidentemente inferior à natureza divina. Na sua preexistência existia como Deus (Fp 2.6). Não se apegando a essa forma de viver como Deus, tomou a forma humana (Fp 2.7-8). E nessa condição foi feito menor do que os anjos (Hb 2.9). Numa das suas orações assim se pronunciou: E agora glorifica-me tu, ó Pai, junto de ti mesmo, com aquela glória que tinha contigo antes que o mundo existisse (Jo 17.5).

d)Se Jesus ao morrer entrega sua alma nas mãos de Deus, é que ele tinha uma alma distinta da de Deus, subordinada a Deus e, portanto, ele não era Deus (“Obras Póstumas”, p. 1146, Editora Opus Ltda., 2ª edição especial, 1985).

Resposta Apologética:

Não negamos que tinha uma verdadeira alma humana distinta de Deus e submissa, mas daí não segue que não era Deus.

e) Negam a ressurreição corporal de Jesus

Depois do suplício de Jesus, o seu corpo ficou lá inerte e sem vida; foi sepultado como os corpos comuns, e todos puderam vê-lo e tocá-lo. Depois da ressurreição, quando quis deixar a Terra, não tornou a morrer; seu corpo elevou-se, apagou-se e desapareceu, sem deixar vestígio algum – prova evidente de que morrera na cruz... Jesus teve, pois, como toda a gente, um corpo carnal e um corpo fluídico... (“A Gênese”, pp. 1054, 1055. Editora Opus Ltda., 2ª Edição especial, 1985).

Resposta Apologética:

Negar a ressurreição corporal de Jesus é pregar outro evangelho (1 Co 15.3-6). Paulo chega a afirmar que uma organização religiosa que nega a ressurreição corporal de Jesus é uma religião inútil, sem valor (1 Co 15.14-17); é pregar outro evangelho anatematizado Gl 1.8-9).

Por outro lado, as provas da ressurreição corporal de Jesus são abundantes (At 1.3):

a) Afirmou em vida que haveria de ressuscitar corporalmente (Jo 2.19-22);

b) O corpo de Jesus não foi encontrado no túmulo, quando visitado pelas mulheres (Lc 24.1-3);

c) O testemunho dos anjos dado às mulheres de que Jesus ressuscitara, quando estavam no sepulcro à procura do seu corpo, para derramar perfumes (Lc 24.4-6);

d) Sua aparição várias vezes depois de ressuscitado afirmando que um espírito não tinha carne e ossos como Ele tinha. Mesmo diante de Tomé que duvidara da sua ressurreição, foi convidado para tocá-lo e confirmar que tinha carne e ossos (Lc 24.36-41; Jo 20.19-21, 25-28; Mc 16.9);

e) Depois de ressuscitado, permaneceu cerca de 40 dias com eles, dando provas infalíveis da sua ressurreição. Em seguida se despediu deles e ascendeu vitoriosamente ao céu (At 1.9-11).

f) Negam nossa redenção por Cristo

Léon Denis, o segundo na hierarquia espírita depois de Kardec, declarou blasfemamente: Não, a missão de Cristo não era resgatar com o seu sangue os crimes da humanidade. O sangue, mesmo de um Deus, não seria capaz de resgatar ninguém. Cada qual deve resgatar-se a si mesmo (“Cristianismo e Espiritismo”, 7ª edição, 1978 – p. 86).

Resposta Apologética:

Paulo, em 1 Coríntios 15.3-4, afirma que a missão de Jesus Cristo a este mundo foi a de salvar e por isso morreu por nós pecadores. Assim, a Bíblia é clara ao declarar que:

a) O seu nome (Jesus) indicaria sua missão: salvar (Lc 2.10-11);

b) Jesus declarou que essa era sua missão aqui na terra (Mt 20.28; Lc 19.10);

c) Paulo afirma que a nossa redenção é feita por Cristo e que seu sangue nos purifica do pecado (Ef 1.7; Rm 4.25; 1 Tm 1.15);

d) Pedro acentua em sua carta esse ensino (1 Pe 1.18-19; 2.24);

e) João, o apóstolo, repete o mesmo em 1 João 1.7-9; 2.12. No Apocalipse João descreve uma multidão no céu e todos tinham lá chegado pela redenção realizada por Cristo mediante sua morte na cruz Ap 7.9-14; 19.1-2).


  • Leia também

    Bíblia Apologética com Apócrifos Série Apologética Curso de Teologia On-line Curso Básico de Teologia Curso Médio de Teologia Curso Bacharel de Teologia
    Contato
    Siga

    © 2017 - 2020 ICP - Instituto Cristão de Pesquisas. Todos os direitos reservados


    Ícones feitos por Freepik from www.flaticon.com