Apologética



Islamismo – Parte 04 – Crenças do islamismo (IMAN)


A teologia islâmica é tão vasta quanto a teologia cristã e, assim como os cristãos possuem um credo resumido, os muçulmanos também o possuem:

4.1 – A CRENÇA EM DEUS

Deus é chamado de Alá, é UNO (wahed), e não tem companheiros nem ninguém que lhe seja igual. Deus é totalmente diferente do homem. A essência da natureza de Deus no Islã é poder.

Os muçulmanos tiraram do Alcorão 99 nomes (ou adjetivos) para Deus. Eles normalmente usam rosários de 99 contas, para recitar todos os seus nomes. É interessante notar que, entre os 99 nomes ou adjetivos citados, não existem as palavras amor e pai.

4.2 – CRENÇA NOS PROFETAS

Maomé ou Mohammed ensina que existe um profeta para cada época, começando por Adão e terminando em Maomé. A tradição islâmica diz que existiram 120 mil profetas.

Para cada profeta foi dado um livro sagrado. Todos se perderam, exceto três: O da Lei (Torá), dado a Moisés; o dos Salmos (Zabur), dado a David; e os Evangelhos (Injil), dado a Jesus. Nesse esquema, Jesus era apenas mais um profeta. Maomé é considerado o Selo dos Profetas, o último e o maior deles.

4. 3 – CRENÇA NOS LIVROS SAGRADOS

Segundo a crença islâmica, o Alcorão é o último livro sagrado dado ao homem. Alcorão é eterno, escrito em placas de ouro ao lado do trono de Alá e recitado a Maomé pelo anjo Gabriel, de acordo com a necessidade.

O Alcorão confirma os livros anteriores, ou seja, os dados a Moisés, Davi e Jesus.Os muçulmanos acreditam que alguns versos mais antigos do Alcorão foram substituídos. Alguns especialistas afirmam que 225 versos foram suprimidos, o que é motivo de constrangimento para muitos adeptos do Islã.

4.4 – CRENÇA NOS ANJOS

Deus criou todos os anjos. A maioria dos anjos é má e eles são chamados ginn (de onde cremos originar-se a palavra gênio). Miguel é considerado o anjo-patrono dos judeus. Gabriel é o anjo que trouxe o Alcorão.

Cada ser humano tem um anjo-ombro: um escrevendo suas boas obras, e outro as más. Satanás (Iblis ou Shitan) foi desobediente. Deus ordenou-lhe adorar Adão e ele se recusou. Este é mais um constrangimento para os muçulmanos, pois Satanás estava certo: somente Deus deve ser adorado.

4.5 – CRENÇA NO DIA DO JUÍZO FINAL

A salvação é pelas obras. As obras de todas as pessoas serão pesadas numa balança. Se as boas superarem as más, tal pessoa irá para o paraíso. Os mártires irão todos para o paraíso.

O conceito de paraíso é bem sensual. Há muitas lindas virgens de olhos negros para cada homem. Existem rios, árvores frutíferas e perfumes no paraíso.

O inferno é para os não-muçulmanos. É um lugar de fogo e tormento indescritível. A maioria dos muçulmanos aceita a idéia da existência do purgatório. O pecado imperdoável é associar algo ou alguém a Deus.

4.6 – CRENÇAS NOS DECRETOS DE DEUS

Deus (Alá) é absolutamente soberano. Deus não tem nenhuma obrigação moral, pois isto limitaria seu poder e soberania. Tudo o que acontece é porque Deus assim quis.

Deus decreta o destino de cada ser humano. Entende-se que isto acontece numa determinada noite do ano. Deus é o autor do mal.


  • Leia também


    Bíblia Apologética com Apócrifos Série Apologética Curso de Teologia On-line Curso Básico de Teologia Curso Médio de Teologia Curso Bacharel de Teologia

    © 2017 - 2020 ICP - Instituto Cristão de Pesquisas. Todos os direitos reservados.

    Ícones feitos por Freepik from www.flaticon.com