Apologética



Hinduísmo – Parte 04 – Os deuses


O hinduísmo é uma religião politeísta, talvez a mais politeísta delas. Há milhares de deuses, porém os hindus afirmam que as muitas divindades são na verdade diferentes manifestações do mesmo deus, que seria um espírito universal, muito difícil de ser definido.

A fim de representar os seus muitos poderes, os deuses hindus são geralmente representados com muitos braços e muitas cabeças. Essas divindades são aquelas às quais se dirigem as preces e os hinos contidos nos Vedas.

Na fé hindu três deuses merecem destaque em relação aos outros: Brahma, Vishnu e Shiva por fazerem parte da chamada Trimurti.

A Trimurti é a trindade hindu, são três deuses, cada um sendo um aspecto diferente da mesma divindade e, portanto tendo a mesma natureza divina, apesar das diversas aparências e funções específicas.

Brahma, o criador. Segundo a crença hindu, é o responsável pela criação de todas as coisas. É representado com quatro rostos barbudos e quatro braços. Ele cria os mundos e as eras. Assim como o termo Brahman significa o princípio ativo de todo o universo, a essência da sua criação, Brahma é a personificação dessa criação. A adoração a esse deus atualmente não é muito difundida na Índia, apesar dele fazer parte da Trimurti.

Vishnu, o preservador. É responsável pela manutenção do dharma, a ordem natural das coisas. Por isso é tido como uma divindade benévola cuja função é salvar o mundo. Ele conserva o universo e as leis naturais. Quando há algum problema, esse deus se encarna e vem à Terra para dar instruções aos homens. Assim, nos lugares onde a fé cristã exerce influência sobre os hindus, eles crêem que Jesus foi uma encarnação de Vishnu, enquanto as outras seriam Krishna, Rama e Buda.

Shiva, o destruidor. Este é sem dúvida o mais venerado e popular dos deuses hindus. Shiva é o deus da morte, da destruição e da doença. Caracteriza-se pelos poderes de construir e destruir, por isso é considerado o deus ambíguo.

Shiva é representado com oito braços, dançando no centro de um círculo de fogo. É também o deus fálico da fertilidade, seu símbolo universal é o linga, que é adorado como sendo a própria encarnação do deus. A ele estão associadas outras divindades: suas esposas Sati, Parvarti e Kali, e seu filho Ganesha, o deus da cabeça de elefante.

Resposta Apologética:

Deus é espírito pessoal, perfeitamente bom e eternamente subsistente em três pessoas, Pai, Filho e Espírito Santo. Ele, em santo amor, cria, dirige e sustenta todas as coisas (Jo 4.24; Sl 25.8; Rm 8; 1 Pe 1.2; Gn 1).

Na Bíblia, o Senhor se revela como sendo o único Deus: Assim diz o Senhor, Rei de Israel. Seu Redentor, o Senhor dos Exércitos: Eu sou o primeiro e eu sou o último, e além de mim não há Deus (Is 44.6). Podemos ver que o hinduísmo tem cultuado por milênios a deuses falsos, deuses que não são deuses verdadeiros (Sl 96.5), até porque não é possível que haja deuses, uma vez que o Senhor se identifica como sendo único (Is 43.11; 45.22).

O Senhor é o Deus Todo-Poderoso, o criador de todo o universo (Gn 1), o provedor e mantenedor da nossa Salvação (Lc 2.29-30; 3.6; Jo 3.16).

Através dos tempos, muitas têm sido as artimanhas de Satanás para desviar a atenção dos homens do verdadeiro Deus, até mesmo, como vemos no hinduísmo, criando uma outra trindade, e atribuindo a deuses falsos os atributos de Deus, com a criação, a salvação e manutenção do universo. Porém a Bíblia é clara em manifestar a revelação completa do Senhor, não deixando dúvida da sua personalidade como único e verdadeiro Deus.


  • Leia também


      • Bíblia Apologética com Apócrifos
        frete grátis
      • Curso Teologia Online
        24% Desconto
      • Série Apologética
        frete grátis

    Bíblia Apologética com Apócrifos Série Apologética Curso de Teologia On-line Curso Básico de Teologia Curso Médio de Teologia Curso Bacharel de Teologia

    ICP - Instituto Cristão de Pesquisas. Caixa Postal 64.098 - CEP 22011-970 - Rio de Janeiro - RJ © Todos os direitos reservados. 2021


    Ícones feitos por Freepik from www.flaticon.com