Defesa da Fé

Edição 01

Os perigos do esoterismo


Por Natanael Rinaldi

A palavra esoterismo, do grego "esotéricos", é sinônima de ocultismo e está relacionada com a doutrina que se oculta das pessoas em geral e se revela apenas aos iniciados, em contraposição à exotérica (externa ou pública). Brasília é tida como uma cidade esotérica por contar com diferentes recantos aonde se pratica o misticismo em todas as suas modalidades, entre as quais se destacam a "Cidade da Paz", o "Vale do Amanhecer", a "Cidade Eclética", e um grupo ufológico que vasculha permanentemente o espaço em busca de outras vidas.

As pessoas místicas gostam de olhar o Universo através de um telescópio e dimensionar sua imagem espiritualmente. Nesses lugares praticam-se: jogo de búzios, tarologia, astrologia, trabalho de energização de cristais, quiromancia; encontram-se: sensitivos, videntes, mestres de Tai Chi Chuan e I Ching (oráculo chinês). Os supersticiosos que se dirigem a esses lugares são pessoas que estão dispostas a pagar qualquer preço por uma consulta, submeter-se às chamadas acupunturas psíquicas para a regressão de vidas, praticar ioga ou meditação transcendental, enfim, estão dispostas a se desenvolver com todo tipo de recursos místicos para a solução de seus problemas.

Para que essas práticas - astrologia, tarô, runologia, I Ching - funcionem, é preciso que as pessoas acreditem em seus poderes PSI ou extra-sensoriais.


O Poder Extra-Sensorial existe?


Admitimos que o sobrenatural realmente existe, mas não que seja resultante de um poder mental inato ao homem e que para sua manifestação se torne necessário despertar poderes extra-sensoriais. Tais poderes só podem ser desenvolvidos por alguns. Daí por que existe o título de sensitivos, videntes, esotéricos ou ocultistas para as pessoas que os desenvolvem.


O que a Bíblia tem a dizer?


Note o que a Bíblia diz de todos os homens:

Salmos 39:5: "Na verdade, todo homem, por mais firme que esteja, é totalmente vaidade".

Jeremias 17:5: "Maldito o homem que confia em outro homem e faz da carne o seu braço".

Os que crêem no poder sobrenatural do homem chegam a ficar numa dependência dos que o manipulam, sejam sensitivos, gurus, videntes ou astrólogos, e não se acanham de afirmar: "Não dou um passo sem a sua orientação". É o caso relatado por Nonato Souza Lima, então delegado do PMDB em São Paulo, com relação ao seu babalaô Walter de Logum-Edé, chegando ao cúmulo de pagar na época Cr$ 100.000,00 para seu guia. (VEJA 29.01.86, pág. 49). "Não tomo nenhuma posição da minha vida política ou particular sem antes consultar o Dr. Newton. Ele é meu guru", dizia o governador João Durval. O Dr. Newton Pinto praticava o ocultismo e fazia uso da quiromancia - leitura mais refinada das mãos que a feita pelos quiromantes (idem, pág. 51).


A fonte do poder sobrenatural


O poder sobrenatural que alguns exercem só pode vir de duas fontes: de Deus ou do diabo. Não há meio termo. O poder sobrenatural ou milagroso que um homem pode exercer é de Deus, quando:

a) é realizado no nome de Jesus e serve para glorificá-lo;

b) serve para edificar a igreja de Jesus Cristo;

c) serve para validar o Evangelho de Jesus, levando pessoas à salvação.

São essas características dos milagres descritos na Bíblia:

Atos 14:3: "Detiveram-se por muito tempo, falando ousadamente acerca do Senhor, o qual dava testemunho à palavra da sua graça, permitindo que por suas mãos se fizessem sinais e prodígios".

Romanos 15:19: "Pelo poder dos sinais e prodígios, na virtude do Espírito de Deus: de maneira que desde Jerusalém, e arredores, até ao ilírico, tenho pregado o evangelho de Jesus Cristo".

I Coríntios 14:12: "Assim também vós, como desejais dons espirituais, procurai abundar neles para a edificação da igreja".

Já os milagres operados pelo diabo, através de videntes, astrólogos, sensitivos e outros que alegam possuir poderes extra-sensoriais, têm características inteiramente diferentes, pois os tais são os falsos profetas e os falsos cristos, os quais o próprio Cristo denunciou em Mateus 24:5-11, todos eles agregados ao movimento Nova Era. Já no Egito, houve os seus predecessores:

Êxodo 7:10-12: "Porque cada um lançou sua vara, e tornaram-se em serpentes; mas a vara de Aarão tragou as varas deles".

Êxodo 8:7: "Então os magos fizeram o mesmo com seus encantamentos; e fizeram subir rãns sobre a terra do Egito".


E se as previsões vierem a se cumprir?


Deus terminantemente não quer que os sigamos. Existe o caso de Sana-Khan, astrólogo e quiromante armênio, que vaticinou, examinando a mão de Jânio Quadros em 1936, que ele seria eleito vereador, prefeito, governador de São Paulo e presidente da República. Mas, Sana-Khan errou no vaticínio de sua própria morte, marcada para 30 de dezembro de 1970, pois morreu em 1979 (VEJA, 29.01.1986, pág. 31). E a Bíblia o que diz?

Deuteronômio 13:3: “Não ouvirás as palavras daquele profeta ou sonhador de sonhos porquanto o Senhor vosso Deus vos prova, para saber se amais o Senhor vosso Deus com todo o vosso coração, e com toda a vossa alma”.

Infelizmente, tudo o que se relaciona com os sistemas de adivinhação está obtendo um grande sucesso. As novelas despejam sobre o povo um concentrado sincrético de tarô, astrologia, búzios, pirâmides, oráculos gregos, curas psíquicas e regressão de vidas passadas, que torna real o provérbio que se diz do povo brasileiro: “É um povo obcecado pelo sobrenatural”. Os jornais noticiam que a febre pelo ocultismo invadiu de tal forma a nossa geração, que já se lê nos adesivos dos carros “Eu creio em duendes”. São milhares de adesivos vendidos só em São Paulo. Cumpre-se a Bíblia, na advertência de Paulo, em I Timóteo 4:1: “Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos enganadores e a doutrinas de demônios”.

Quando os efésios se converteram pela pregação do evangelho de Jesus Cristo por meio de Paulo, o que se lê é que “também muitos dos que seguiam artes mágicas trouxeram os seus livros, e os queimaram na presença de todos e, feita a conta do seu preço, achavam que montava a cinqüenta mil peças de prata. Assim a palavra do Senhor crescia poderosamente e prevalecia” (Atos 19:19-20). Que anunciemos o evangelho de Cristo, que é o poder de Deus para a salvação (Romanos 1:16), de modo que as pessoas envolvidas com o ocultismo podem ser libertas ao se chegarem a Jesus Cristo, livres de todos os temores do mundo espiritual contra o qual precisamos lutar (Efésios 6:10-12).


Práticas atuais ligadas ao esoterismo


Quirologia: estudo completo das mãos, que envolve a quiromancia (leitura das mãos). Através de cálculos matemáticos, aponta aspectos de personalidade, potenciais, análise do passado e previsões.

Astrologia: estudo do homem através dos astros, onde cada ponto de energia funciona como arquétipo da personalidade.

Numerologia: análise da personalidade e da vida da pessoa através do nome. Leva em conta o número de letras e o valor de cada uma delas, seguindo uma tabela própria.

Tai Chi Chuan: é uma arte marcial da China. Consiste em uma série de movimentos que visam fazer a pessoa encontrar seu equilíbrio físico e mental.

Telepsiquismo: a capacidade de utilizar as forças do subconsciente, isto é, Eu Superior.

Radiestesia: para localizar objetos perdidos, fazer perguntas ao inconsciente, localizar jazidas minerais, prognosticar doenças.


Artigos e suas finalidades esotéricas


I Ching: O Livro das Mutações. Trata-se de um livro de sabedoria e adivinhação proveniente da China.

Búzios: tipo de concha usada como jogo divinatório pelos adeptos de umbanda e candomblé, transmite a mensagem dos orixás.

Cristais: pedras de quartzo encontradas em rosa, fumê, púrpura e incolor. São usadas para isolar e retirar vibrações negativas do ser humano.

Gnomos: forças da natureza ligada aos quatro elementos: ar, água, terra e fogo. Seres que estão entre o espírito e o homem.

Mandala: desenhos geométricos feitos de arame, de origem hindu, que dão sorte e ajudam a meditar.

Pêndulos: usados para detectar energias negativas que vem do subsolo. Também são empregados para oráculo. A resposta é dada pelo movimento do pêndulo.

Pirâmides: podem ser de cristal, ouro, cobre, latão, madeira ou papelão. O seu poder está relacionado com a forma, que imita a pirâmide Quéops. Canalizam energia cósmica e têm finalidade curativa.

Runas: oráculo escandinavo composto de 25 pedras que prevêem o futuro. São 24 pedras com símbolos e uma pedra em branco. É tido como o alfabeto dos antigos sacerdotes das tribos germânicas.

Tarô: jogo divinatório formado por 78 cartas. É um dos sistemas de interpretação da vida mais procurado atualmente. Consiste em uma coleção de símbolos fundamentais do inconsciente: morte, amor, cura, religião, etc.

Bíblia Apologética com Apócrifos Curso Básico de Teologia Curso Médio de Teologia Série Apologética Curso Bacharel de Teologia Curso Teologia Online
Contato
Siga

ICP - Instituto Cristão de Pesquisas © Todos os direitos reservados. 2018