Defesa da Fé

Edição 12

Conhecimento que dá a vida eterna


Por Wagner S. Cunha

Na noite de sua agonia, e poucas horas antes de sua paixão, o Senhor Jesus, no capítulo 17 do evangelho de João, proferiu o que tem sido comumente chamado, há quase cinco séculos pelos cristãos, “de Oração Sacerdotal do Senhor”, pois nela o Senhor ora por: Sua própria glorificação, proteção, santificação, unidade, e glorificação definitiva dos crentes.

Ao perscrutar esse belíssimo capítulo de João 17, Filipe Melanchton (1497-1560), alemão, teólogo da reforma, amigo de Lutero, conseguiu expressar o ponto de vista que os servos de Deus, em todos estes séculos de cristianismo, possuem a respeito dessa passagem bíblica: “nenhuma voz já se ouviu na terra, ou no céu, com maior arrebatamento, nem mais santa, mais frutífera, mais sublime, do que a do próprio Filho de Deus nesta oração”.

O texto de João 17 apresenta ainda argumentos incontestáveis acerca da deidade de Cristo. Por esse motivo, vários grupos religiosos heréticos do passado (como os Socinianos) e do presente, como as Testemunhas de Jeová (sucessoras dos Socinianos) esforçam-se arduamente para pervertê-lo. É bem provável que você tenha ouvido inúmeras vezes as Testemunhas de Jeová citarem João 17: 3 em conexão com o oferecimento de um “um estudo grátis da Bíblia”. Por essa razão, é importante que conheçamos os principais erros que elas cometem acerca desse texto. Isso nos auxiliará a compreender o conceito de salvação adotado pelas Testemunhas de Jeová.


Alterando o texto


Excetuando-se a Tradução do Novo Mundo (das TJs) o versículo 3 de João 17, na maioria da traduções e versões da Bíblia, tem o seguinte conteúdo “... que te conheçam, o único Deus verdadeiro...”(NVI – Sociedade Bíblica Internacional).

Já a TNM adota a seguinte tradução “... que absorvam conhecimento de ti, o único Deus verdadeiro...” (TNM – Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados). Por que essa tradução esdrúxula do verbo grego – ginosco (conhecer) por “absorver conhecimento? Em um artigo de A sentinela, 01/03/1992, p. 23 - O Que Significa “Absorver Conhecimento de Deus e de Jesus”, as Testemunhas de Jeová tentam sustentar esta inserção (como usualmente costumam fazer com outros versículos que depõem contra suas doutrinas), citando fora do contexto vários eruditos bíblicos, com o intuito de dar um toque de erudição a sua forma racionalista e incorreta de ver o versículo. Um dos citados é o dicionarista W. E. Vine em a Expository Dictionary of New Testament Words, VII p. 297 a 299, onde “GINOSKO significa estar assimilando conhecimento, chegar a conhecer, entender completamente.” Assim, as Testemunhas de Jeová estão limitando a definição e uso do vocábulo, que é analisado por W. E. Vine nas páginas seguintes, forçando a noção de que o conhecimento mencionado no versículo é meramente doutrinário; entretanto, o dicionarista W. E. Vine, na página 298 da obra mencionada continua: “No N.T. Ginosco freqüentemente indica uma relação entre a pessoa que está conhecendo e o objeto conhecido...” Vine prossegue: “Tal conhecimento é obtido não por mera atividade intelectual, mas pela operação do Espírito Santo resultante da aceitação de Cristo.”

O conhecimento a que João em seu evangelho se reporta é, portanto espiritual; é travar um relacionamento íntimo e pessoal com Deus, compreendendo amor, apreço e comunhão (I Jo 4:7,8). Naturalmente, esse texto implica ter algum conhecimento doutrinário, mas a ênfase que encontramos é decididamente diferente das suposições racionalistas apresentadas pelas Testemunhas de Jeová.

Outro ponto fundamental que encontramos nesse versículo é que tal conhecimento é revelado e personificado em Jesus Cristo. Ele mesmo é Deus manifestado na carne (Jo 14: 6-9; I Jo 2.23). Conhecimento do Revelador é o mesmo que o conhecimento do Deus que é revelado. Formidável é a reflexão que Robert Bowman, em seu livro (“Por que Devo Crer na Trindade”, p. 127, 128, Editora Candeia, 1996) faz de João 17:3. Ele diz: “Isso seria estranho se Jesus fosse simplesmente o mais sublime entre todos os seres criados, mas apropriado se, conforme já comprovamos, Jesus é Deus... Se o Filho fosse uma criatura, deveria ser possível conhecer a Deus à parte daquela criatura. Mas ninguém o pode, porque Jesus é Deus.” É impossível conceber como o mensageiro podia ser um Revelador adequado de uma pessoa, de cuja natureza não participa.


Semelhança com os gnósticos


Em sua ênfase sobre o conhecimento doutrinário, como a chave para a vida eterna, em detrimento de um relacionamento com Deus (Jo 5: 39,40), as Testemunhas de Jeová se assemelham ao gnosticismo. A seita gnóstica surgiu nos primórdios do cristianismo. Em sua forma original, estava arraigada no judaísmo, mas por fim o movimento tornou-se sincretista, mesclando elementos judaicos, doutrinas cristãs e idéias pagãs. Seus adeptos arrogavam possuir um conhecimento mais profundo das coisas divinas do que o que se poderia obter entre os crentes comuns. A idéia de uma simples mensagem como a “morte, sepultamento e ressurreição de Cristo” (I Co 15:1-4) era ofensiva para os gnósticos. Eles sentiam que uma verdadeira religião deveria oferecer algo mais para o intelecto. A simplicidade da mensagem evangélica “Jesus salva” era escândalo para os judeus e loucura para os gregos (I Co 1: 18-25).

Em 1979, durante a reunião matinal, na sede mundial das Testemunhas de Jeová, no Brooklyn – NY, um de seus principais líderes, Frederick W. Franz (1893-1992) disse a seguinte frase sobre a mensagem do evangelho encontrado em I Co 15:3, 4 – “Alimento para crianças, não é a mensagem para os dias de hoje”. Trágica e infeliz declaração!

As Testemunhas de Jeová passam longas horas na busca do “conhecimento exato”, lendo e relendo as palavras de seus líderes, “sempre aprendendo, mas nunca são capazes de chegar ao conhecimento da verdade” (II Tm 3.7). Sua maneira de conhecer a Deus é superficial e insípida. Não é a maneira filial em que a Graça Salvadora de Nosso Pai Celeste se manifesta em Cristo Jesus para conosco em afeição pessoal, ação redentora.

Bíblia Apologética com Apócrifos Curso Básico de Teologia Curso Médio de Teologia Série Apologética Curso Bacharel de Teologia Curso Teologia Online
Contato
Siga

ICP - Instituto Cristão de Pesquisas © Todos os direitos reservados. 2018