Defesa da Fé

Edição 16

Legião da Boa Vontade é a religião de Deus?


Por Natanael Rinaldi

O movimento ecumênico do Brasil


Talvez você possa estar perguntando: “ por que questionar a LBV? Não é ela uma entidade filantrópica? Sim! É verdade, os trabalhos da LBV iniciaram-se com a distribuição de sopa aos pobres em Nova Iguaçu (Subúrbio do Rio). Mantém atualmente creches, escolas, asilos, escolas, orfanatos, lares-escolas, escolas profissionalizantes, assistências médica infantil etc. Promovem a “Ronda da Caridade” à meia-noite, recolhendo mendigos e bêbados nas calçadas e dando-lhes a sopa dos pobres”

Mantém em todos os estados 65 programas de televisão e 300 de rádio. Estão também no Uruguai, Paraguai, Argentina, México e Estados Unidos, com planos para outros países. Pode-se questionar tal gesto de solidariedade humana como o desenvolvido por eles? Claro que não questionamos, e nem discordamos dessas boas obras, pois é notável a contribuição no aspecto material aos menos favorecidos, mediante constante e intenso trabalho dos adeptos da LBV. O que iremos analisar nesta matéria sobre a LBV são suas estranhas crenças, à luz da Palavra de Deus. Muita gente desconhece a finalidade da LBV dentro dos seus próprios estatutos, no sentido espiritual, já que sua finalidade não é só cuidar do corpo, seu objetivo é cuidar também da alma. E que ensino a LBV está dando às almas preciosas dos internados em suas escolas e creches? Ou nos seus muitos programas radiofônicos, televisivos e nas literaturas? Nada menos do que as doutrinas espíritas. Dizem em seus estatutos: “ A LBV desenvolve suas atividades dentro da preocupação de tratar da saúde, do corpo e do espírito, objetivo principal do seu programa de auxílio aos necessitados.” (JESUS-Saga de Alziro Zarur II, p. 88). Dizem ainda: “A RELIGIÃO DO NOVO MANDAMENTO afirma a imortalidade da Alma e a reencarnação dos Espíritos; confirma a possibilidade, por permissão de DEUS, da comunicação entre encarnados e desencarnados; reafirma a permanente PRESENÇA DE DEUS em cada um de Seus filhos.”(Ibidem, p.134)

Mas por causa de suas obras assistênciais, a LBV goza de grande prestígio junto ao povo. Quem está de fora nada vê senão obras benevolentes e assim, com base nas aparências, não admitem jamais que qualquer pessoa de bom senso possa lhes recusar auxílio quando solicitado, esses pedidos são feitos geralmente por meio do telefone. Se alguém recusa é considerado pessoa de má vontade, pois não é admissível que pessoas de boa índole se recusem a ajudar as crianças que a LBV mantém nas suas creches e escolas.


Histórico da LBV


O nome do fundador completo é Alziro Elias Davi Abraão Zarur e nasceu aos 25 de dezembro de 1914, de pais sírios, católicos ortodoxos. Zarur considerava-se a reencarnação de Allan Kardec como declara no livro “JESUS – A Saga de Alziro Zarur II”– ZARUR E KARDEC SÃO UM NO CRISTO DE DEUS.

Durante a sua vida fez três votos, sem que viesse a cumprir nenhum deles. O primeiro voto foi de celibato. Não cumpriu, casando-se com Iracy Abreu, uma fiel legionária, depois de três meses de namoro; o segundo voto foi de não envolvimento político. Não cumpriu, criando o PTN – Partido Trabalhista Nacional – e se candidatou à presidência da República, perdendo as eleições; o terceiro voto, o mais importante da sua vida, não cumpriu como os demais. Disse ele: “Se alguém provar que a LBV não está integrada nas Verdades do Evangelho e do Apocalipse, fecharemos as portas.”(Mensagem de Jesus Para os Sobreviventes, p. 110).

Conforme o prometido no início dessa matéria, que analizariamos apenas o aspecto doutrinário-religioso da LBV, usaremos esse desafio lançado por Aziro Zarur em seu terceiro voto para continuarmos nosso estudo.

Ao final caberá a cada leitor se posicionar a cerca desse movimento religioso brasileiro, se devem ou não fechar suas portas segundo a sentença do seu próprio fundador.


O Consolidador


José de Paiva Netto é o sucessor de Alziro Zarur é o seu atual presidente, é considerado o consolidador da LBV: “Graças a José de Paiva Netto, o Consolidador, a LEGIÃO DA BOA VONTADE é hoje uma Obra completa, pois nada lhe falta. Passam-se os anos desde a passagem de Alziro Zarur para o plano espiritual. Ele deixou a LBV nas mãos de Paiva Netto, que não a guardou em quatro paredes. A LBV partiu para todos os cantos do Brasil, com mais intensidade, com novas Obras assistenciais. Novas Sucursais Estaduais foram criadas, inclusive no Exterior”(JESUS-A Saga de Alziro Zarur, p. 88).


A origem do título LBV


Em 4 de março de 1949 lançou o programa “Hora da boa Vontade” na Rádio Globo do Rio. Lá criou a “Prece do copo d’água”. Alziro Zarur citava textos bíblicos na Rádio e dentre eles repetia Lc 2.14 (versão católica): “Glória a Deus nas alturas, paz na terra para os homens de boa vontade.” Na verdade, deve-se ter presente que a boa vontade não é dos homens para com Deus, mas de Deus para com os homens: “Glória a Deus nas alturas, paz na terra, boa vontade para com os homens.” (Almeida) Oficialmente foi fundada em 7 de setembro de 1959. Declaram: “Temos, como sempre tivemos, a convicção inabalável de que a LBV foi criada pelo próprio JESUS, Nosso Divino Mestre, que segue na vanguarda deste movimento. (Religião do Terceiro Milênio, p. 95) E vão além, ao declarar: “Esperamos que não ignores a originalidade da nossa RELIGIÃO SANTÍSSIMA! Não foi plagiada de nenhuma outra! (idem, p. 115)


Contribuições


O prezado leitor já se viu diante de um pedido telefônico, feito por uma voz feminina muito delicada, elogiando-o como cidadão de bem e se, como tal, não estaria disposto ao pagamento mensal para o custeio de uma criança, com uma contribuição de valor considerável? Não é verdade que muitos cristãos evangélicos se julgam constrangidos diante desse pedido insistente e têm desviado contribuições de sua igreja para atender a tais pedidos, sem saber que, indiretamente, estão contribuindo para que as crianças abrigadas recebam toda a sorte de orientação religiosa contrária à Bíblia?


A quarta revelação de Deus


É fantástica a pretensão de certos grupos religiosos em pretenderem ser o caminho de Deus para a salvação. Pois assim se dá com a LBV. Julga ser nada menos do que a Quarta e última revelação de Deus aos homens. Afirmam que as três primeiras revelações de Deus se deram por: a) Moisés, através dele surgiu o Velho Testamento: b) por Jesus, com ele surgiu o Novo Testamento; c) por meio de Allan Kardec, e com ele surgiu o Espiritismo, alegado como o cumprimento da promessa do próprio Jesus de mandar o Consolador; a Quarta e a última revelação de Deus aos homens, a LBV. (JESUS-A Saga de Alziro Zarur, III) Pretendem “restaurar a Verdade da Bíblia Sagrada, particularmente no que se contém no Evangelho e no Apocalipse de JESUS, sempre à luz do Novo Mandamento, a Lei do Amor Universal, a RELIGIÃO DE DEUS...” (Religião do Terceiro Milênio, p. 52)


Templo do ecumenismo irrestrito


Quando da sua fundação, em 7 de setembro de 1959, o regimento interno da entidade dizia o seguinte: “Sendo uma religião simbólica, não terá hierarquia e nem liturgia. Não terá bens materiais e nem templos. A Igreja do legionário é a sua própria casa e cada legionário é o templo de Deus”.

Muito embora declarassem que a igreja do legionário fosse sua própria casa e cada legionário fosse o templo de Deus, hoje, pensando diferentemente, criaram o templo da Boa Vontade em Brasília. O templo tem uma forma de pirâmide, cujo ápice traz um cristal. No pavimento interno do templo há sete círculos concêntricos pretos e sete brancos, os quais as pessoas percorrem para chegar finalmente debaixo do cristal, tido como portador de boas energias. Ao lado do templo, está sendo construído o chamado “Parlamento Mundial da Fraternidade Ecumênica” outra invenção megalomaníaca da LBV - “A RELIGIÃO DIVINA, em que se fundem todas as religiões humanas.” Hoje também criaram os locais de culto chamados de Religião de Deus. O convite que fazem é: “Venha receber um passe e beber um copo de água fluidificada.” Como propaganda dizem: “Quem é legionário, não deixa de ser; quem passa pelo salão de cultos fica, passa a ser legionário.”


O ecumenismo é bíblico?


Ecumenismo irrestrito não é um ensino bíblico. Pois o ecumenismo irrestrito, não passa de uma espécie de vale tudo, definido por Jesus como “o caminho largo que conduz à perdição”. (Mt 7.13,14). Na Bíblia encontramos que Deus não aceita todo o tipo de culto que lhe prestam. Isso se vê no culto de Abel e Caim. Foi aceito o culto de Abel e rejeitado o culto de Caim. (Gn 4.1-6)


Ensinos peculiares


O uso da Bíblia

Declaração:

“Os erros da Bíblia são conseqüência natural do estado evolutivo dos seus autores...” São erros pessoais, que nem eram erros para a maioria, na época em que foram escritos. Essa é a parte humana da Bíblia, que a LBV esmiuçou, ao tratar de alma e espírito...” Ora, explica a necessidade das revelações progressivas, cuja finalidade (traçada pelo próprio Jesus) é corrigir e atualizar a parte humana da Bíblia Sagrada. Portanto, com todos os seus erros, de origem exclusivamente humana, a Bíblia continua certa como o demonstra a Doutrina do CEU da LBV.”

Em versos Alziro Zarur revela sua negação da Bíblia:

‘Há coisa mais ilógica, meu Deus,

Que a fé dos cristãos míopes refutar

Fatos concretos, e justificar

Contradições na Bíblia dos hebreus?

Senhor, não creio que este Livro Santo

Tenha, todo ele, inspiração divina

Porque tua santíssima doutrina

Não pode rebaixar-se tanto e tanto!

Não posso concordar com tais parlendas

Que difundem tamanhas inverdades;

Se a Bíblia tem muitíssimas verdades,

Tem, também, suas fábulas e lendas.

(o grifo é nosso)

(Mensagem de Jesus Para os Sobreviventes,

p. 179, 180)

Resposta:

Ora, os Evangelhos e o Apocalipse fazem parte da Bíblia. Se a LBV admite que na Bíblia existem erros, como provar que a LBV está integrada nas Verdades do Evangelho e do Apocalipse? A própria Bíblia faz referências à sua inspiração divina. Freqüentemente se lê: “a Escritura não pode ser anulada”(Jo 10.35). Lemos em 1 Pe 1.21: “Homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo.” Paulo afirmou o seguinte: “Pelo que também damos sem cessar graças a Deus, pois, havendo recebido de nós a palavra da pregação de Deus, a recebestes, não como palavra de homens, mas (segundo é, na verdade) como palavra de Deus, a qual também opera em vós os que crestes.”(1 Ts 2.13) Jesus disse: “A tua palavra é a verdade.” (Jo 17.17) A maior prova da inspiração da Bíblia está em suas profecias exatas. As profecias anunciavam com precisão muito antes de acontecer a vinda de Jesus em cumprimento da palavra de Dt 18.15 “O Senhor teu Deus te despertará um profeta do meio de ti, de teus irmãos, como eu; a ele ouvireis.” Foi profetizado o lugar do seu nascimento como Belém; que nasceria de uma virgem; que seria traído por 30 moedas; que seria contado com os malfeitores; que nenhum dos seus ossos seria quebrado; que se lançariam sortes sobre seus vestidos e que seria morto e ressuscitaria ao terceiro dia. Mq 5.2; Mt 2.3-9; Is 7.14; Mt 1.22,23;Zc 11.12,13; Mt 27.3-5; Is 53.12; Lc 22.37, 52; 23.32,33; Sl 34.20; Jo 19.36; Sl 22.18; Mt 27.35; Sl 16.10; At 2.27-31. Não podemos esquecer que a LBV se propôs fechar as portas se fosse provado que “não está integrada nas Verdades do Evangelho e do Apocalipse.”


Jesus


Com relação à pessoa de Jesus, a LBV nega tanto a humanidade como também a divindade absoluta de Jesus. Com relação à sua humanidade, afirma a LBV:

Declaração:

“JESUS não poderia nem deveria, conforme as imutáveis Leis da Natureza, revestir o corpo material do homem do nosso planeta, corpo de lama, incompatível com natureza espiritual, mas um corpo fluídico...”(JESUS-A Saga deAlziro Zarur, II, p. 108)

Considerando que Jesus não podia ter um corpo material (de carne e ossos), não poderia Maria tê-lo dado à luz e assim o que ocorreu com Maria foi apenas uma ilusão de parto.

Diz então Alziro Zarur:

“Maria tinha de crer num parto real e lembrar-se dos fatos que lhe cumpria atestar, como se tivessem ocorrido.” ( JESUS-A Saga de Alziro Zarur II, p. 153)

Resposta:

Como se torce a Bíblia! Maria teve uma ilusão de parto. Como poderia isso acontecer se em Lc 2.7 se lê:”E deu à luz a seu filho primogênito, e envolveu-o em panos, e deitou-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem.” Além disso, Jesus estava sujeito ao crescimento, como todos os homens (Lc 2.52). Sentiu fome (Mt 4.2), sede (Jo 19.28), comeu e bebeu (Mt 11.19), dormiu (Mt 8.25), suou sangue (Lc 22.44), foi crucificado, morreu na cruz e por fim ressuscitou dos mortos (Lc 24.1-6,39-43).

João, o apóstolo, em sua Segunda epístola, versículo 7, declara: “Porque já muitos enganadores entraram no mundo, os quais não confessam que Jesus Cristo veio em carne. Este tal é o enganador e o anti-cristo.”

Com relação à deidade absoluta, Alziro Zarur se pronuncia:

Declaração:

“Agora, o mundo inteiro pode compreender que JESUS, o CRISTO DE DEUS, não é DEUS nem jamais afirmou fosse DEUS.”( JESUS- A Saga de Alziro Zarur, II, p. 112)

Resposta:

Jesus nunca afirmou ser Deus Pai , mas afirmou sua igualdade com Ele. Por algumas vezes no Evangelho de João, vemos Jesus ser ameaçado de morte pelos líderes judaicos. Depois de curar o coxo, ordenou-lhe tomar a cama e partir. Era sábado. Os judeus ordenaram-lhe que parasse. O coxo informou que fora Jesus que o curara e que o mandara carregar a cama. “E por esta causa os judeus perseguiram a Jesus, e procuravam matá-lo; porque fazia estas coisas no sábado. E Jesus lhes respondeu: Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também. Por isso pois os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque não só quebrantava o sábado, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo- se igual a Deus.(Jo 5.16-18) Disse mais Jesus em Jo 10.30-33: “Eu e o Pai somos um. Os judeus pegaram então outra vez em pedras para o apedrejar. Respondeu-lhes Jesus: Tenho-vos mostrado muitas obras boas procedentes de meu Pai; por qual destas obras me apedrejais? Os judeus responderam, dizendo-lhe: Não te apedrejamos por alguma obra boa, mas pela blasfêmia, porque sendo tu homem, te fazes Deus a ti mesmo.” E tudo isso ocorreu por causa da reivindicação de Jesus de sua igualdade de natureza com Deus, o Pai. Não bastasse isso, temos o prólogo do evangelho de João, que diz: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.”(Jo 1.1-3)


Reencarnação


A LBV é uma entidade espírita. Foi numa sessão espírita que uma senhora, por nome Emília R. Melo, disse a Alziro Zarur ter visto São Francisco de Assis ao seu lado. Desde então esse “santo” passou a ser patrono da LBV. Sendo espírita, não podia pensar diferente da doutrina da reencarnação.

Daí porque Alziro Zarur se pronuncia favorável à teoria da reencarnação.

Declaração:

“Só a reencarnação e os séculos – expiação, reparação e progresso – poderiam preparar as inteligências e os corações de maneira a fazer deles ODRES NOVOS, CAPAZES DE CONSERVAR O VINHO NOVO.”(JESUS-A Saga de Alziro Zarur II, p. 259)

“O homem, como sabeis nasce e morre muitas vezes, antes de chegar ao estado de perfeição.”(Ibidem, p. 116)

Resposta:

Jesus ensinou que depois da morte há um julgamento e separação absoluta entre os justos (os que o aceitaram por Salvador e Senhor); e os ímpios, como resultado da aceitação ou rejeição de Cristo como Salvador e Senhor (Jo 3.16-18); de entrar pela porta estreita ou porta larga (Mt 7.13,14). Jesus ensinou que existe o céu e que existe o inferno e que tais lugares são finais e definitivos (Lc 16.22-25; Mc 9.43-35). Jesus falou sobre a ressurreição do corpo e não da eliminação do corpo como ensina a LBV (Jo 5.28,29); Jesus, em vida corporal, realizou muitos milagres dentre os quais a ressurreição de mortos como Lázaro (Jo 11.25,26). Além disso Jesus ensinou que somos salvos pela sua morte na cruz (Mt 20.28: 26.26-28). Se somos salvos pela obra expiatória de Jesus é claro que as boas obras não salvam e nem ajudam a salvar-nos ( Ef 2.8,9; Tt 3.5).


Mediunidade


Declaração:

“A RELIGIÃO DO NOVO MANDAMENTO... confirma a possibilidade, por permissão de DEUS, da comunicação entre encarnados e desencar na dos...” (RELIGIÃO DO TERCEIRO MILÊNIO, p. 134)

Resposta:

Tiago, o apóstolo, afirma: “Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sobra de variação.”(1.17) Logo, como admitir que, por permissão de Deus, exista a possibilidade de “comunicação de encarnados e desencarnados”? E por que dizemos isso? Porque o próprio Deus proibiu terminantemente essa prática conhecida como mediúnica. Diz Dt 18.10-12, “Entre ti se não achará quem faça passar pelo fogo o seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro, nem encantador de encantamentos, nem quem consulte um espírito adivinhante, nem mágico, nem quem consulte os mortos.” (o sublinhado é nosso). Então, pergunta-se: como admitir que Deus proíba e que por sua permissão ele consinta essa comunicação entre encarnados (os vivos) e os desencarnados (os mortos)? Mesmo quando recebermos convites para entrar em contato com eventuais parentes ou pessoas queridas mortas, não devemos aceitar tais sugestões. “Quando vos disserem: Consultai os que teem espíritos familiares e os adivinhos, que chilreiam e murmuram entre dentes; - não recorrerá um povo ao seu Deus? a favor dos vivos interrogar-se-ão os mortos?”(Is 8.19) Deus proíbe porque sabe perfeitamente que os vivos que querem entrar em contato com os mortos, por meio dos médiuns, na verdade, estão entrando em comunicação com demônios (Ef 6.12). Nunca alguma pessoa conseguiu identificar o espírito que fala pelo médium. Essa é uma situação que preocupa todos os espíritas. Admitem a hipótese da mediunidade mas não saber como identificar o espírito que fala pelo médium. Allan Kardec declara sobre o assunto: “A identidade é uma das grandes dificuldades do Espiritismo prático; freqüentemente, ela é impossível de se constatar...” “... eles podem tomar o (nome) de um Espírito conhecido pertencente à mesma categoria, de tal sorte que, se um Espírito se comunica com o nome de São Pedro, por exemplo, nada não prova que ele seja precisamente o apóstolo desse nome.”(O Que é o Espiritismo, p. 127)

Se a Bíblia declara que a boca fala do que o co ração está cheio, imagine Alziro Zarur chegar ao extremo de compor um poema e a quem ele tributaria esse poema. Nada menos do que ao seu irmão Satanás. E assim ele expressa sua apreciação por ele:

Lembro-me bem: eu era uma criança

Calada e triste, sem saber porquê.

Menino, ás vezes, pensa. E também vê

Que é triste o carnaval da vizinhança.

Em minha paz de criança pessimista,

Desconfiada de risos e festinhas,

Ninguém sabia ler as mágoas minhas

Naquele isolamento fatalista.

Um dia, eu fui com meus irmãos à igreja,

E um padre perturbou a minha paz:

Ele falou de um certo Satanás

Que as almas brutaliza e mercadeja.

Mas falou com uma raiva tão bravia

Do Diabo vil, com um coração de pau,

Que eu perguntei à minha mãe avó Maria:

– Será que o Diabo é mesmo assim tão mau?

E Lúcifer, com todo o seu quartel,

Me preocupou, de fato, muitos anos:

Quis, até devassar os seus arcano,

Aprofundando a história de Lusbel.

Mais tarde, eu lia a Bíblia, de manhã –

E são 66 livros ou partes –

Para surpreender todas as artes

Daquele infernalíssimo Satã.

Até que, um dia, o Novo Testamento

Me revelou, na sua estranha luz,

O Sermão da Montanha, de Jesus,

Que não me saiu mais do pensamento.

Fiquei pasmado, oh! sim, perante aquelas

Palavras da misericórdia-mor!

E tanto as li que, até hoje sei de cor

Estas palavras mansamente belas:

“Bem-aventurados os humildes,

porque deles é o reino do céu.

Bem-aventurados os que choram,

porque eles serão consolados

pelo próprio Deus.

Bem-aventurados os pacientes,

porque possuirão a terra.

Bem-aventurados os que têm fome

e sede de justiça,

porque terão o amparo

da Justiça Divina.

Bem-aventurados os misericordiosos,

porque eles alcançarão missericórdia.

Bem-aventurados os limpos de coração,

porque eles verão Deus face a face.

Bem-aventurados os pacificadores,

porque serão chamados filhos de Deus.

Bem-aventurados os que são perseguidos

por causa da Verdade,

porque deles é o reino do céu.

Bem-aventurados sois vós

quando vos perseguem,

quando vos injuriam e, mentindo,

Fazem todo o mal contra voz

por minha causa.

Exultai e alegrai-vos,

porque é grande

o vosso galardão no céu.

Ouvistes o que foi dito:

amarás teu amigo

e odiarás teu inimigo.

Eu, porém, vos digo:

amai até mesmo aos vossos inimigos;

bendizei àqueles que vos maldizem;

fazei bem àqueles que vos odeiam;

orai por todos aqueles

que vos perseguem e maltratam...

Nessa altura, já entrara em minha vida

– E lhe fiz um cordial salamaleque

A obra portentosa de Kardec,

A jorrar na Bíblia envelhecida.

Na grande Metapsíquica dos sábios,

que estudam essas coisas sem rituais,

Algumas perguntinhas, bem banais,

Naturalmente vieram aos meus lábios:

– Se Deus sempre é perfeito no que faz

E nada do que fez ao mal destina,

Por que odiarmos nós a Satanás

Se ele, também, é criação divina?

–E, se JESUS nos veio esclarecer

que amássemos até “ao inimigo”,

Por que não transformar num bom amigo

A Satanás, em vez de o combater?

Amigos meus, oremos por Satã,

Amemo-lo de todo o coração,

E respondamos sempre com o perdão

Aos males que nos faça, hoje e amanhã.

E, um dia, todos nós iremos ver

Satanás redimido, a trabalhar

Por aqueles que veio tresmalhar

Dos rebanhos do Cristo, e reviver!

Porque se assim, amigos, não quiserem

Aqueles que se chamam “os cristãos”,

Lavemos, desde já as nossas mãos,

Antes as iniquidades que fizeram.

Por mim, com honra, eu amo Satanás, Meu pobre irmao perdido nos infernos,

Com este amor dos sentimentos ternos,

Pra que ele, também receba a paz.

(Mensagem de Jesus Para os Sobreviventes, Poema completo: p.130/132/133.) O grifo é nosso.


Consideração final


Precisaríamos dizer mais sobre a LBV depois que o seu fundador se declarou amigo de Satanás e recomenda que o amemos de todo o coração? A Bíblia recomenda amarmos a Deus de todo o coração, de toda a alma e do todo o pensamento (Mt 22.37). Houve alguém que aceitou permitir a entrada de Satanás em sua vida e Satanás causou-lhe a desgraça. Chamava-se Judas Iscariotes. Está escrito: “Entrou, porém, Satanás em Judas, que tinha por sobrenome Iscariotes, o qual era do número dos doze.”(Lc 22.3) Trágica decisão a de abrir-se os corações para o amigo de Alziro Zarur – Satanás. Jamais o façamos porque sua obra é matar, roubar e destruir (Jo 10.10). Abramos o coração para Jesus que veio desfazer as obras do diabo na vida das pessoas (1 Jo 3.8-10).

Bíblia Apologética com Apócrifos Curso Básico de Teologia Curso Médio de Teologia Série Apologética Curso Bacharel de Teologia Curso Teologia Online
Contato
Siga

ICP - Instituto Cristão de Pesquisas © Todos os direitos reservados. 2018