Defesa da Fé


A igreja da maconha


Maconha e Bíblia. Essa combinação tem tudo a ver para os membros da Igreja da Maconha, localizada em um sítio na cidade de Americana, interior do Estado de São Paulo. A Primeira Igreja Niubingui Etíope Coptic de Sião é frequentada por seguidores de uma filosofia rastafari que têm o hábito de idolatrar e consumir maconha e, segundo eles, estudar versículos bíblicos que dariam sustentação ao dogma da “igreja maconheira”.

O líder do grupo, Geraldo Antonio Batista, defende que Jesus operou seus milagres sob o efeito da maconha (inclusive a transformação da água em vinho). O pão que Jesus comia não era feito de trigo, mas de maconha. Cristo teria sido batizado com o uso da maconha! E, como se não bastasse, Batista chegou a afirmar que a maconha é um “presente de Deus” para a humanidade. Segundo ele, a droga está presente na Bíblia. Em entrevista concedida ao portal UOL, Batista perguntou: “Sabe como é o nome da cidade que os hebreus conquistaram? Canaã. A cidade da maconha (numa alusão ao termo científico da erva – cannabis). Ela é uma planta sagrada porque permeia toda a Bíblia”. O argumento é tão absurdo, mesmo para pessoas que nunca leram a Bíblia, que não merece sequer tentativa de refutação.

Diversas operações policiais já foram realizadas no local e dezenas de pés de maconha foram apreendidos. Na última ocasião, há poucas semanas, 26 pés da erva foram capturados. Em um dos cômodos do sítio, foi encontrado um prato com a maconha pronta para o uso. O chefe espiritual da igreja já havia sido preso por tráfico de drogas, mas garante que as árvores de maconha não eram para ser vendidas, mas, sim, para consumo próprio e dos frequentadores da igreja.

A legislação brasileira proíbe o uso de maconha para finalidades religiosas. No entanto, os seguidores da filosofia rastafari pretendem utilizar a jurisprudência que tornou legal o Santo Daime para legalizar também o consumo de cannabis em rituais religiosos.


O que tem a ver cânabis com Canaã?


Cânabis

Em português brasileiro (do gênero Cannabis), popularmente maconha, liamba, erva, marijuana, cânhamo, ganja ou ganza ou suruma (em Moçambique) refere-se a um número de drogas psicoativas derivadas da planta Cannabis. A forma herbácea da droga consiste de flores femininas maturas e nas folhas que subtendem das plantas pistiladas. A forma resinosa, conhecida como haxixe, consiste, fundamentalmente, de tricomas glandulares coletados do mesmo material vegetal.


Canaã

De acordo com a Bíblia, nome alusivo ao filho de Cam e neto de Noé, ao qual se atribui a origem dos cananeus, conforme relato de Gênesis capítulo 10. Canaã seria a duodécima geração depois de Adão: Adão > Sete > Enos > Quenã > Malalel > Jarede > Enoque > Metusalém > Lameque > Noé > Cam > Canaã. Após o dilúvio, Cam deparou-se com Noé embriagado, tendo visto a sua nudez em sua tenda e contou o fato a seus irmãos, em vez de cobrir o pai (Gn 9.22). Quando recobrou a consciência, Noé amaldiçoou o filho de Cam, referindo-se a ele como o “servo dos servos”. E prossegue, dizendo: “Maldito seja Canaã [Cam]; servo dos servos seja aos seus irmãos” (Gn 9.25).


“Segundo o líder do grupo, a maconha é um presente de Deus para a humanidade e Jesus teria operado seus milagres sob o efeito dessa erva”


Assista à entrevista no YOU TUBE: http://www.youtube.com/watch?v=24WO97c5sC4

Bíblia Apologética com Apócrifos Curso Básico de Teologia Curso Básico de Grego Bíblico Curso Médio de Teologia Série Apologética Curso Bacharel de Teologia Curso Teologia Online

ICP - Instituto Cristão de Pesquisas © Todos os direitos reservados. 2017