ICP Responde



Jesus fez uma promessa enganosa?


Quando, porém, vos perseguirem numa cidade, fugi para outra; porque em verdade vos digo que não acabareis de percorrer as cidades de Israel, até que venha o Filho do Homem. (Mt 10.23)


Há diversos “ditos difíceis” de Jesus registrados nos Evangelhos, assim chamados porque o sentido deles nem sempre parece claro ou coerente à primeira vista. Eles têm desafiado a criatividade e a capacidade dos estudiosos por séculos. O fato de que estes ditos foram transmitidos pela Igreja Primitiva e estão hoje nos Evangelhos canônicos é prova de que os primeiros cristãos os consideravam autênticos, muito embora não os entendessem plenamente.

As palavras de Jesus em Mateus 10.23 foram pronunciadas aos doze apóstolos após haver-lhes determinado que fossem, de dois em dois, pregar nas vilas e cidades de Israel (ver Mt 10.1-6). O Senhor os instruiu sobre como deveriam levar a cabo a obra de evangelização dos judeus (Mt 10.7-15), advertiu-os quanto aos perigos que deveriam encontrar na jornada, especialmente as perseguições (Mt 10.16-22) e lhes fez esta admoestação e promessa: “Quando, porém, vos perseguirem numa cidade, fugi para outra; porque em verdade vos digo que não acabareis de percorrer as cidades de Israel, até que venha o Filho do Homem” (Mt 10.23).

Este dito ou palavra do Senhor Jesus é considerado difícil porque aparentemente se trata de uma profecia não cumprida, pois seus discípulos terminaram a missão (ver Lc 9.10) ele esperava a manifestação plena do Reino de Deus durante a missão dos doze em Israel, mas esta expectativa se frustrou.

Várias soluções têm sido dadas para esta passagem difícil. Reconhecemos que nenhuma delas explica de forma completa e satisfatória o sentido do que o Senhor Jesus quis dizer. Há, porém, algumas que são menos problemáticas, enquanto que outras são inaceitáveis. Vejamos:

1. Alguns estudiosos, sem compromisso com a inspiração, veracidade e autoridade da Bíblia, insinuam que estas palavras não foram realmente pronunciadas por Jesus, mas que foram compostas por seus discípulos e posteriormente atribuídas a ele, quando o Evangelho de Mateus foi escrito. Os discípulos, após a morte e ressurreição de Jesus, estariam vivendo numa expectativa muito grande quanto à sua segunda vinda, que consideravam iminente e próxima. E para justificar esta ansiedade fervorosa, atribuíram a promessa ao próprio Jesus, de que ele retornaria ainda durante o tempo em que o Evangelho estava sendo pregado aos judeus, antes da destruição de Jerusalém. Entretanto, esta solução levanta problemas ainda maiores, especialmente quanto à confiabilidade da Bíblia e a honestidade e inteligência dos discípulos. Parece plausível que os discípulos tivessem criado uma mentira para justificar para si mesmos e para os demais cristãos a esperança iminente do retorno do Senhor? E se eles fizeram isto, porque mantiveram este dito falso e mentiroso no Evangelho, mesmo após a destruição de Jerusalém e o fim da missão judaica no século I? Eles estavam sendo perseguidos pelos judeus e pelos romanos. Seria suicídio intelectual manter no livro sagrado deles uma promessa do fundador da sua religião que claramente não havia se cumprido, especialmente se eles sabiam que Jesus nunca falou estas palavras. Entretanto, este dito de Jesus está em todas as cópias do Evangelho de Mateus de que dispomos hoje. Ele foi mantido, mesmo sendo difícil, pela simples razão de que os discípulos sabiam que havia sido o próprio Senhor que o havia pronunciado.

2. Outros estudiosos críticos consideram o dito como sendo uma autêntica profecia de Jesus, porém equivocada. Acham que Jesus se enganou. Na opinião destes estudiosos – e entre eles estava o famoso teólogo, médico e músico alemão Albert Schweitzer – Jesus esperava realmente que através da missão dos doze apóstolos entre os judeus o Reino de Deus se manifestasse em toda sua plenitude, e que Jesus fosse claramente manifestado por Deus como Filho de Deus e o Messias de Israel diante da nação, que o haveria de reconhecer e aceitar. Daí ter feito esta promessa aos discípulos. Quando os discípulos voltaram e o Reino não se manifestou, Jesus resolveu forçar a sua vinda encaminhando-se para Jerusalém, como Rei de Israel. Mas, conforme ensinou Schweitzer, foi rejeitado pelos líderes da nação, foi traído por Judas, abandonado pelos demais discípulos, e morreu crucificado, sem entender porque Deus o havia desamparado e por que a sua expectativa foi frustrada (“Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?” Mt 27.46). Entretanto, esta solução, como a anterior, cria problemas graves, pois sugere que Jesus nada mais era que um profeta iludido com sua própria megalomania. A grande questão é por que os discípulos mantiveram este dito “equivocado” de Jesus no Evangelho, visto que só contribuiria para desacreditar a mensagem cristã? Além disto, como explicar que os discípulos continuaram a crer e a seguir a Jesus após uma prova tão evidente de que ele havia se equivocado, e que, portanto, era um homem falível como qualquer outro?

3. Outros estudiosos consideram que a promessa de Jesus se cumpriu com a destruição de Jerusalém em 70 d.C. A “vinda” do Filho do Homem teria sido o julgamento e juízo da nação de Israel pela rejeição do Messias. Jesus “veio” na pessoa dos exércitos romanos e assim cumprindo cabalmente a sua promessa. Ainda outra interpretação acha que a “vinda” aconteceu em Pentecostes. Estas respostas pelo menos partem do pressuposto de que a Bíblia é inspirada e verdadeira, ao contrário das anteriores, que admitem erros e enganos em Jesus e na Bíblia; porém, estas duas soluções não satisfazem plenamente. Uma das maiores dificuldades contra elas é o fato de que a expressão “a vinda do Filho do Homem” é usada em Mateus para se referir à segunda vinda de Cristo, em glória visível, a este mundo (ver Mt 24.27,37,39), bem como outras expressões similares, tais como “quando vier o Filho do Homem” (Mt 25.31). Interpretar o texto como se referindo à destruição de Jerusalém ou Pentecostes é forçado.

4. Uma última interpretação entende que Jesus estava se referindo à missão mundial e futura de evangelizar os judeus, a qual ainda não se completou. A ida dos doze para pregar nas vilas de Israel apenas inaugurava esta missão, que continuou com Paulo e o moderno movimento missionário, e ainda não se concluiu. Em outras palavras, o que o Senhor quis dizer aos discípulos foi que a evangelização de Israel não se completaria antes do fim da era presente, que será marcada pela vinda do Filho do Homem. E que até lá haveria perseguições. Algumas evidências fazem desta interpretação uma das menos complicadas.

No texto paralelo em Marcos o Senhor disse: “Mas é necessário que primeiro o evangelho seja pregado a todas as nações” (Mc 13.10). Muito embora aqui o Senhor tenha incluído gentios e judeus, o princípio é claro: antes do fim do mundo, as nações – inclusive Israel – serão evangelizadas. O próprio Mateus registrou algo similar: “E será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações. Então, virá o fim” (Mt 24.14).

O apóstolo Paulo mencionou ainda que “todo o Israel” seria salvo antes da consumação (Rm 11.25-27). Muito embora a interpretação desta passagem seja disputada por alguns, uma forte corrente reformada defende que se refere à conversão dos judeus antes da vinda do Senhor.

Se tomados juntos, estes versos ensinam que, antes da vinda do Senhor, a Igreja deverá ter anunciado o Evangelho a todas as nações, Israel inclusive. A passagem “difícil” de Mateus 10.23 é mais bem entendida assim. Naquela ocasião, o Senhor Jesus referiu-se somente a Israel, pois era este o contexto da comissão evangelizadora que ele deu aos doze apóstolos.

Conforme a teologia reformada, há passagens na Bíblia que não são claras em si mesmas nem igualmente claras a todos (Confissão de Fé de Westminster, 1.7). Os “ditos difíceis” de Jesus se enquadram nesta categoria. Portanto, mesmo entre reformados poderá haver diferença de interpretação quanto a eles. Entretanto, há interpretações aceitáveis e outras inaceitáveis. As primeiras partem da premissa de que não há erro nas Escrituras, e que o dito é difícil por falta de conhecimento nosso, e também que nem sempre teremos respostas para todas as dificuldades da Bíblia. As interpretações inaceitáveis partem da premissa de que a dificuldade pode ter sido criada por um erro de Jesus ou dos autores dos Evangelhos. Isto rejeitamos veementemente.


Por Augustus Nicodemus

  • Leia também


    A Bíblia proíbe a celebração de aniversários?
    A que batismo o apóstolo Paulo se refere no texto de Efésios 4.5?
    Abraão era judeu?
    Afinal, o testemunho de Jesus é verdadeiro ou não?
    Alguns atributos de Deus são inerentes ao ser humano?
    Arão morreu no monte Hor ou em Moserá?
    As crianças têm anjo da guarda?
    As testemunhas de Jeová afirmam que o Lago de fogo não é real, mas abstrato, por representar uma condição, e não um lugar, e receber coisas abstratas, como, por exemplo, a morte, o inferno, a iniqüidade e o diabo, um espírito. Isso é verdade?
    A terra permanecerá para sempre ou será destruída?
    Candace era um lugar ou o nome da rainha?
    Coisas santas aos cães e pérolas aos porcos. Qual deve ser a nossa posição acerca deste ensinamento de Jesus?
    Com que idade os levitas iniciavam o serviço no templo: 20, 25 ou 30 anos?
    Como devemos orar antes das refeições?
    Como entender a expressão “banco”, em Lucas 19.23?
    Como entender a ordem para não tocar no ungido do Senhor?
    Como entender o fato de Paulo mandar entregar dois obreiros da Igreja a Satanás?
    Como era realizado o sepultamento nos tempos bíblicos?
    Como explicar “as figuras das coisas que estão no céu”, citadas em Hebreus?
    Como Jesus poderia ser onisciente se Ele era plenamente humano?
    Como José, filho de Jacó, conseguiu guardar alimentos durante sete anos e onde? Teria utilizado um método milagroso para conservá-los (Gn 41.1-37)?
    Como o inferno glorifica a Deus?
    Como o pecado afetou seus descendentes?
    Como o Sol e a Lua pararam se para a ciência a Terra gira em torno do Sol?
    Como os israelitas administravam a punição por apedrejamento?
    Como surgiu a palavra judeu? Porque os israelitas são conhecidos como judeus?
    De acordo com a explicação na Bíblia Apologética (Gn 37.35,36; Sl 16; Lc 16.19-31), antes da vinda de Cristo o mundo invisível dos mortos estava num mesmo lugar embaixo da terra. Como conciliar esta explicação com os textos de 2Reis 2.11, Gênesis 5.24 e Provérbios 15.24, que dizem que subiram e não que desceram? E se subiram, como interpretar João 3.13?
    Deus foi favorável à escravidão? (Êx 21.20-21)
    Deus se arrepende ou não?
    Devemos guardar o sábado ou o domingo?
    É lícito ao pastor tirar férias?
    É verdade que já existe pornografia gospel?
    É verdade que o apóstolo Paulo escreveu três cartas aos coríntios? Qual delas se perdeu? Temos algum versículo bíblico que nos esclareça sobre seu tema ou conteúdo (1Co 5.9-11)?
    Em 2 Coríntios 11.17, Paulo está contradizendo os ensinos de Jesus?
    Em Êxodo 25.17-22, Deus está permitindo a adoração de imagens?
    Em Levítico 11.13-19, a Bíblia classifica o morcego como um pássaro. Ela errou?
    Em qual sentido podemos dizer que o reino de Deus é tomado pela violência?
    Em que consiste a rabdomancia?
    Em que consistia a cerimônia do bode emissário?
    Em que consistia o culto ao imperador?
    Em que sentido faremos obras maiores que Jesus?
    Eutanásia - O homem pode estabelecer o término de uma vida?
    Gostaria de saber quem é o autor da expressão Trindade, uma vez que esta expressão não consta na Bíblia?
    Gostaria de saber se Sansão cometeu suicídio ao derrubar as colunas do templo, mesmo sabendo que poderia morrer? Ou se o seu ato não se classifica como suicídio?
    Há alguma contradição entre 1 Samuel 21.1 e Marcos 2.25,26? Davi estava sozinho ou acompanhado de seus soldados?
    Há alguma contradição entre Jesus e Paulo no tratamento de nossos familiares?
    Há um “capítulo de ouro” no livro do profeta Jeremias? Qual é e por quê?
    Haverá salvação para os anjos maus?
    Havia morte antes de Adão?
    Já li diversos livros que falam sobre a alma e o espírito, mas continuo com dúvidas. Há alguma diferença entre eles? Quais seriam?
    Jesus curou um ou dois endemoninhados em Gadara?
    Jesus era vegetariano?
    Jesus está no céu com um corpo humano glorificado? Se afirmarmos isso, temos de aceitar a doutrina mórmon?
    Jesus fez uma promessa enganosa?
    João Batista teve dúvidas se Jesus era ou não o Messias?
    José foi comprado pelos ismaelitas ou pelos midianitas? (Gn 37.28,36 e 39.1).
    O batismo deve ser de acordo com o ensino de Mateus 28.19 ou conforme algumas denominações afirmam: somente em nome de Jesus (At 2.38)?
    O casamento é uma instituição de Deus ou apenas uma invenção humana?
    O cristão pode usar produtos magnetizados?
    O evangelho de Marcos 5.10 indica que os demônios são regionais. Será que existe alguma rivalidade entre eles por causa disso?
    O Natal escatológico - O duplo cumprimento do Natal
    O profeta de Deus ameaçou a Davi com quantos anos de escassez, três ou sete?
    O que é fideísmo religioso?
    O que é o limbo, segundo os católicos apostólicos romanos?
    O que é um bar mitzvá?
    O que há na Bíblia a respeito das profecias de Maomé?
    O que Jesus quis dizer com a expressão “não nos induzas à tentação”, em Mateus 6.13?
    O que o apóstolo João quis dizer com “há pecados para a morte”?
    O que o rei Salomão quis dizer ao declarar: “Não sejas demasiadamente justo”?
    O que podemos saber a respeito da epístola escrita à igreja de Laodicéia (Ap 3.14-22)?
    O que seria realmente blasfemar contra o Espírito Santo?
    O que significa a expressão “hosana ao Filho de Davi”?
    O que significa a expressão “quatro ventos dos quatro ângulos do céu”?
    O que significa a expressão “quatro ventos dos quatro ângulos do céu” (Jr 49.36)? Teria o céu uma forma finita?
    O que significa a palavra mórmon?
    O que significa ser criado à “imagem” de Deus?
    O que significam as iniciais INRI, afixadas na cruz de Jesus?
    O texto de 1 Pedro 4.8 pode ser usado para justificar os pecados pelas obras?
    O trabalho é bênção ou maldição?
    Onde ocorreu a batalha contra os filisteus, num campo de lentilhas ou num campo de cevadas?
    Onde se localizava o Jardim do Éden?
    Os cristãos são proibidos de estudar filosofia?
    Os irmãos literais de Jesus eram, na verdade, seus primos?
    Podemos ser perdoados de todos os nossos pecados ou não?
    Por que alguns servos do Senhor tiveram seus nomes mudados?
    Por que alguns versículos insistem em ignorar o irmão de Isaque?
    Por que Apocalipse 7.4 menciona a tribo de Manassés no lugar da tribo de Dã?
    Por que cristãos não devem usar amuletos?
    Por que Daniel não foi jogado na fornalha de fogo ardente com seus amigos, afinal, não estavam juntos (Dn 3.1-30)?
    Por que Deus enviou Moisés e, depois, quis matá-lo, conforme Êxodo 4?
    Por que Deus não aceitou a oferta de Caim?
    Por que Eliseu amaldiçoou os rapazes zombadores?
    Por que existe a necessidade de reparação se Deus nos perdoa quando confessamos os nossos erros?
    Por que Jesus amaldiçoou a figueira por não produzir figos se o texto de Marcos 11.13 deixa claro que não era o tempo propício para isso?
    Por que Jesus sendo Deus se fez homem?
    Por que não vemos nos evangelhos pessoas pedindo perdão a Jesus?
    Por que o inferno é eterno? Será que Deus tem prazer no sofrimento daqueles que se rebelam contra ele?
    Por que o nome de Jesus não é Emanuel (Is 7.14)?
    Por que os cristãos adoram três deuses se a Bíblia é contra o politeísmo? E, ainda, por que chamam Jesus de Deus filho se Deus não tem filho?
    Por que os cristãos crêem na Bíblia se ela foi corrompida ao longo dos anos?
    Qual é a localização do jardim do Éden no mapa atual?
    Qual é o significado do Ohikari e do Johrei?
    Qual é o significado da expressão “passar um camelo pelo fundo de uma agulha?”, citada em Mateus 19.24?
    Qual foi a causa da morte de Ananias e Safira?
    Qual o significado das expressões a cadeia de prata e o copo de ouro em Eclesiastes 12.6?
    Que espécies de animais comestíveis são o solam, o chargol e o chagab (Lv 11.22)?
    Quem é a senhora mencionada em 2 João 1,5?
    Quem é o homem vestido de linho mencionado em Ezequiel 10?
    Quem eram os “Doze” que viram a Jesus após sua ressurreição, mencionados em 1Coríntios 15.5?
    Quem eram os levitas?
    Quem eram os nicolaítas?
    Quem foram os ebionitas?
    Quem são os primeiros e os últimos?
    Realmente, existiu o tanque de Betesda?
    Satanás pode ouvir nossos pensamentos?
    Se a Trindade é onisciente, como Jesus não sabia a respeito daquele Dia?
    Se Deus é sempre o mesmo, isto significa que ele sempre age da mesma forma?
    Se eu tiver fé, poderei fazer mais milagres do que Jesus?
    Se Jesus foi gerado pelo Espírito Santo, por que Ele é chamado de “Filho do Homem”?
    Se Judas havia morrido, e Matias, seu substituto, ainda não havia sido empossado, como Jesus poderia ter aparecido aos doze apóstolos?
    Se o morcego é mamífero, por que foi chamado de ave em Lv 11.13-19?
    Segundo o texto de Mateus 27.52, em que momento se deu a ressurreição dos mortos?
    Será que realmente todas as autoridades são ordenadas por Deus? Até mesmo as corruptas? E como explicar os casos em que as autoridades são totalmente contrárias aos mandamentos de Deus?
    Sou evangélico, mas ao ler o livro Mórmon senti o espírito de Deus testificando em meu peito que esse livro é verdadeiro. Gostaria de conhecer melhor o mormonismo. Será que os irmãos poderiam me ajudar?
    Urucubaca pega em crente?
    Usura - Um cristão pode cobrar juros?
    Zacarias 14.9 reforça a tese unicista contra a Trindade?

    Bíblia Apologética com Apócrifos Curso Básico de Teologia Curso Médio de Teologia Série Apologética Curso Bacharel de Teologia Curso Teologia Online
    Contato
    Siga

    © 2017 - 2019 ICP - Instituto Cristão de Pesquisas. Todos os direitos reservados