ICP Responde



Qual é o significado da expressão "passar um camelo pelo fundo de uma agulha?", citada em Mateus 19.24?


O que Jesus deixa evidente no texto é o apego exagerado às riquezas.

"E, outra vez vos digo que é mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no reino de Deus".

Esta narrativa bíblica também se encontra em Marcos 10.17.22 e Lucas 18.18-23, e nos conta a história de certo jovem rico que se encontrou com Jesus e lhe indagou: "Bom Mestre, que hei de fazer para herdar a vida eterna?". Depois de uma rápida conversa e da proposta final de Jesus para que o jovem vendesse todos os seus bens e os entregasse aos pobres, a Bíblia diz que o jovem "retirou-se triste; porque possuía muitas propriedades". A conclusão de Jesus diante dessa atitude é a que encontramos no texto em estudo.

Há pelo menos três posicionamentos sobre o que significaria o texto. A saber:

 Há indicação de que "camelo" seria uma espécie de "corda" ou "cabo". Alguns manuscritos bíblicos verteram a palavra kámelos (animal, literal), por kámilos (corda ou cabo). Os que defendem esta tradução, obviamente entendem que kámelos é uma tradução errada do grego original. Entretanto, conforme afirma Russel Champlin, esta versão "teve por finalidade diminuir a impossibilidade do ato". Esse primeiro significado, então, é precário, pois no texto original grego não consta kámilos, mas kámelos.

 Há também uma sugestão de que a palavra "agulha" referia-se às portas de Jerusalém. Neste caso, declara um autor franciscano: "Jesus [...] compara o rico que quer entrar no reino do céu ao camelo que tem de atravessar o fundo de uma agulha [...] e lembrava o que os camelos que chegavam de regiões distantes carregados de fardos e preciosidades precisam fazer, às portas de Jerusalém, para que entrassem na cidade: tinham de se curvar quase até o chão ou depor a carga". No entanto, "agulha", no texto original grego, não se refere a nenhuma espécie de porta e, tampouco, há exatidão, por parte dos estudiosos, sobre a existência de tais portas em Jerusalém.

 O sentido é literal. Não queremos aqui tratar a riqueza como algo mau em si mesmo, apenas queremos destacar as palavras de Jesus, que disse: "... quão difícil é, para os que confiam nas riquezas, entrar no reino de Deus!" (Mc 10.24; grifo nosso). Há na Bíblia vários relatos de pessoas ricas que serviram e seguiram a Jesus. No entanto, o que o Senhor deixa evidente no texto é o apego exagerado às riquezas, da parte do jovem, com a adição de uma atitude egoísta, pois o mesmo "pesaroso desta palavra [de Jesus], retirou-se triste; porque possuía muitas propriedades". O apóstolo Paulo não fala que o dinheiro é a raiz de todos os males, mas, sim, "o amor ao dinheiro": "Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores" (1Tm 6.10; grifo nosso). A lição que Jesus quis dar é que o ser humano deve usufruir de seus bens em conformidade com a vontade divina, para não se tornar escravo de suas posses e abandonar o seu próximo. "Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom" (Mt 6.24).


Por Gilson Barbosa

  • Leia também



    Bíblia Apologética com Apócrifos Série Apologética Curso Teologia Online Curso Básico de Teologia Curso Médio de Teologia Curso Bacharel de Teologia
    Contato
    Siga

    © 2017 - 2019 ICP - Instituto Cristão de Pesquisas. Todos os direitos reservados