ICP Responde



O que Jesus quis dizer com a expressão "não nos induzas à tentação", em Mateus 6.13?


Deus permite certas circunstâncias na qual ficamos vulneráveis ao pecado para nos provar.

A idéia de um Deus santo que põe seus filhos em situações de pecado é contrária à razão e às Sagradas Escrituras, pois Tiago escreve: "Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta" (Tg 1.13). Contudo, Jesus não teria feito esse pedido a Deus desnecessariamente, devendo, assim, haver uma explicação para essa súplica.

Existem situações em que Deus nos expõe ao mal, mas tais circunstâncias, permitidas pelo próprio Senhor e nas quais ficamos vulneráveis ao pecado, são para nos provar. Neste caso, a tentação se refere às provas ou aos sofrimentos que tentam minar a nossa fé em Deus. O benefício desta tentação é que, se resistirmos, sairemos mais fortalecidos ainda. O diabo apresenta aos servos de Deus tentações fortíssimas, visando provocar com isso uma situação aparentemente irresistível de ser suportada. Mas o crente que reconhece sua fragilidade humana pede a Deus para que não o deixe ceder à tentação, conforme Jesus suplicou em sua oração.

Apesar de sermos submetidos a situações de perigos face ao pecado, a Bíblia nos assegura que não vem sobre nós tentação senão humana (1Co 10.13). Não obstante estarmos sujeitos às tentações de pecado, temos a certeza de que Deus nos sustentará para não cedermos.


Por Gilson Barbosa

  • Leia também



    Bíblia Apologética com Apócrifos Série Apologética Curso Teologia Online Curso Básico de Teologia Curso Médio de Teologia Curso Bacharel de Teologia
    Contato
    Siga

    © 2017 - 2019 ICP - Instituto Cristão de Pesquisas. Todos os direitos reservados