ICP Responde



O batismo deve ser de acordo com o ensino de Mateus 28.19 ou conforme algumas denominações afirmam: somente em nome de Jesus (At 2.38)?


“Batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo” (Mt 28.19).

As denominações que costumam batizar somente em “nome de Jesus” geralmente são unicistas, isto é, crêem que existe apenas uma só pessoa na Divindade. Esse ensino reflete o antigo e falso conceito de Sabélio, líder cristão do século III que tomou uma posição herética ao transmitir que havia uma única essência divina que se manifesta por três fases temporárias e sucessivas: inicialmente como Deus, o Pai, encarnado como Deus, o Filho, e, contemporaneamente, como Deus, o Espírito Santo. Portanto, não haveria três pessoas distintas formando uma Trindade. Embora não tenha sido o fundador do movimento, Sabélio, no entanto, foi um apologista (defensor) desse falso ensino.

Geralmente, aqueles que defendem o batismo somente em nome de Jesus afirmam que essa fórmula é correta, que era dessa maneira que o apóstolo Paulo e os demais batizavam.

Vejamos se tais afirmações têm procedência. Se a fórmula do batismo fosse “em nome de Jesus”, como querem alguns, e se o evangelista Lucas estivesse interessado em deixar isso bem claro, ele teria o cuidado de repetir ipsis litteris (textualmente letra por letra) a fórmula desejada. No entanto, ao verificamos o texto de Atos, não encontramos repetições dessa fórmula. Antes, encontramos diversas maneiras quanto ao relato do batismo. Vejamos o quadro abaixo:

Citação / Referência / Ocorrências

Batizado em nome de Jesus Cristo / At 2.38; 8.12 / 2

Batizados em nome do Senhor Jesus / At 8.16; 19.5 / 2

Batizados em nome do Senhor / At 10.48 / 1

Batizados em Cristo Jesus / Rm 19.5 / 1

Lucas relata diversos batismos e, em algumas ocasiões, nem sequer usa a fórmula. Por exemplo, em Atos 9.18 Saulo é batizado, contudo, não é registrada nenhuma fórmula. Isso significa que nada fora dito? No relato da conversão do carcereiro não temos nenhuma fórmula batismal (At 16.33). Significa também que nada fora dito? Conforme podemos ver, o evangelista não estava preocupado em ensinar uma fórmula batismal. Se assim fosse, ele teria tido o cuidado de repetir tal fórmula em cada citação. Esse fato demonstra que não havia a preocupação por parte de Lucas de ensinar nenhuma fórmula batismal no texto de Atos.

Contudo, encontramos em Mateus uma referência que comumente é usada no meio evangélico. “Batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo” (Mt 28.19). O que difere radicalmente o conceito cristão do conceito unicista quanto ao batismo vai além da fórmula que esse deve ou não ser realizado. A divergência fundamental encontra-se no conceito sobre a Trindade. Entre os unicistas, encontramos os adeptos de William Marrion Branham (Tabernáculo da Fé), os adeptos de Witness Lee (movimento Igreja local) e a Igreja Voz da Verdade, cujo sistema de louvor tem o mesmo nome. Existem outras denominações pequenas que também são unicistas.

As Escrituras ensinam claramente que Deus é único, portanto não existem três deuses, mas um só Deus. Elas também ensinam a respeito de três pessoas simultaneamente distintas. No batismo de Jesus vemos essas três pessoas se manifestando de forma distinta: Deus, o Pai, falando do céu, Deus, o Espírito Santo, descendo sobre Jesus, e o próprio Jesus sendo batizado (Mt 3.16 e 17).


Por Gilberto Kennedy da Silva

  • Leia também



    Bíblia Apologética com Apócrifos Série Apologética Curso Teologia Online Curso Básico de Teologia Curso Médio de Teologia Curso Bacharel de Teologia
    Contato
    Siga

    © 2017 - 2019 ICP - Instituto Cristão de Pesquisas. Todos os direitos reservados