ICP Responde



João Batista teve dúvidas se Jesus era ou não o Messias?


Em nenhum momento João Batista desacreditou que Jesus fosse o Messias prometido.

No evangelho de João (1.31,32), João Batista revela que Jesus é o Messias, o Cristo. Contudo, o evangelista Mateus relata que João Batista enviou dois dos seus discípulos a Jesus para lhe perguntar: “És tu aquele que havia de vir, ou devemos esperar outro?” (11.3). Em um primeiro momento, parece que João Batista está incrédulo quanto ao fato de Jesus ser o Cristo, mas o assunto deve ser observado mais detidamente. João Batista estava pregando o arrependimento, pois o reino de Deus havia chegado. Então, esperava que a presença do Rei significasse a presença do reino, o que era também a expectativa de muitos judeus.

Todos os servos enviados por Deus anteriormente foram libertadores de Israel. Desde a fundação da nação houve libertadores. Moisés libertou Israel do Egito. Todos os juízes libertaram Israel dos povos vizinhos. Alguns profetas também conduziram a libertação do povo. Davi libertou Israel dos filisteus e manteve uma posição governamental bem-sucedida. A grande expectativa dos judeus era a sua libertação de Roma e o início do reino messiânico. Até os profetas que falaram do reino de Deus expressaram a respeito da prosperidade que esse reino teria. Em nenhum momento João Batista desacreditou que Jesus fosse o Messias prometido. Ao contrário, sua pergunta serviu para constatar o que ele já sabia. João Batista reconhecia a autoridade de Jesus e não desprezava sua palavra.

Provavelmente, João Batista esperava, como muitos judeus, que todas as atividades messiânicas fossem imediatamente aplicadas. Em outras palavras, que Jesus julgasse como Juiz, executasse rapidamente a justiça, elevasse a nação de Israel ao seu pleno objetivo e pastoreasse os gentios com vara de ferro. Mas obra messiânica voltou-se primeiramente à solução do problema do pecado. Agora, aguardamos a segunda fase de sua vinda, quando todas as coisas lhe serão sujeitas.

Semelhantemente a João Batista, muitos outros profetas falaram sobre a obra de Cristo mas não entenderam o mistério que estava guardado: “segundo o meu evangelho e a pregação de Jesus Cristo, conforme a revelação do ministério que desde tempos eternos esteve oculto” (Rm 16.25). O mistério da obra de Cristo (ou seja, a expiação, a redenção, a justificação pela fé, o novo pacto e muitas outras implicações de seu ministério) foi revelado aos apóstolos.

O apóstolo Pedro claramente explica isso: “Foi a respeito desta salvação que os profetas indagaram e inquiriram, os quais profetizaram acerca da graça a vós outros destinada, investigando, atentamente, qual a ocasião ou quais as circunstâncias oportunas, indicadas pelo Espírito de Cristo, que neles estava, ao dar de antemão testemunho sobre os sofrimentos referentes a Cristo e sobre as glórias que os seguiriam. A eles foi revelado que, não para si mesmos, mas para vós outros, ministravam as coisas que, agora, vos foram anunciadas por aqueles que, pelo Espírito Santo enviado do céu, vos pregaram o evangelho, coisas essas que anjos anelam perscrutar” (1Pe 1.10-12).


Por Guilherme Fagner Araújo

  • Leia também



    Bíblia Apologética com Apócrifos Série Apologética Curso Teologia Online Curso Básico de Teologia Curso Médio de Teologia Curso Bacharel de Teologia
    Contato
    Siga

    © 2017 - 2019 ICP - Instituto Cristão de Pesquisas. Todos os direitos reservados