ICP Responde



O sangue não comereis (Gn 9.4)


Testemunhas de Jeová. Com a intenção de proibir a transfusão de sangue, fazem uso indevido de diversos versículos especificamente destinados à orientação alimentar do povo de Deus. Assim, citam o texto em estudo com a seguinte argumentação: "A transfusão de sangue é o mesmo que comer sangue, porque se assemelha à alimentação intravenosa".

Resposta apologética: Não há dúvida de que essa passagem trata da proibição do uso do sangue de animais como alimento. É uma situação bem diferente da que ocorre quando alguém precisa de uma transfusão de sangue para sobreviver, já que, estando todos nós enfermos pelo pecado, o Senhor Jesus Cristo não negou derramar seu próprio sangue por nós - numa grande transfusão de sangue (Hb 9.11-28; 1Jo 3.16). Jesus deu a sua vida, ou seja, o seu sangue, por nós. Como sabemos, as mudanças doutrinárias entre as Testemunhas de Jeová são comuns e cada uma delas (das doutrinas) é tratada como uma "nova luz" e o conjunto de mudanças é denominado "luz progressiva". No início, interpretavam o texto em pauta como sendo uma proibição contra a vacinação. E agiram dessa forma durante muitos anos. Tal proibição foi abolida na revista A sentinela de janeiro de 1954 (p. 15). Depois, quando vieram os transplantes de órgãos, ensinavam que tais procedimentos poderiam ser comparado à prática do canibalismo, costume existente entre os bárbaros. Posteriormente, compararam o transplante de órgãos à transfusão de sangue, ensinando que tais práticas eram condenadas pela Bíblia em Atos 15.20,28. Liberaram o transplante de órgãos, mas, ainda hoje, proíbem a transfusão de sangue (desde julho de 1945).


  • Leia também



    Bíblia Apologética com Apócrifos Série Apologética Curso Teologia Online Curso Básico de Teologia Curso Médio de Teologia Curso Bacharel de Teologia
    Contato
    Siga

    © 2017 - 2019 ICP - Instituto Cristão de Pesquisas. Todos os direitos reservados