ICP Responde



Toma o teu filho e oferece-o ali em holocausto (Gn 22.1-18)


Grupos religiosos marcionistas. Para Marcião, o Deus do Antigo Testamento era mau e o Deus do Novo Testamento bom. A referência em estudo é usada por essa seita para negar que o Deus de Israel, tal como revelado no Antigo Testamento, era o verdadeiro Deus.

Resposta apologética: Para os cristãos, essa passagem não apresenta dificuldades. É óbvio e claro que Deus, ao pedir a Abraão para oferecer o seu próprio filho, Isaque, em sacrifício, estava provando a fé e a obediência do patriarca. Isaque não foi imolado, pois Deus já havia providenciado o carneiro do holocausto em substituição e resgate de sua vida.

O caso de Isaque é um paralelo com a oferta que Deus faz de seu Filho unigênito, Jesus Cristo, como prova de seu amor e em resgate propiciatório ou vicário de toda a humanidade (Jo 3.16). No que diz respeito à revelação de Deus no Antigo Testamento, Jesus não fez diferença entre o Pai que o enviara e o Deus de Israel, revelado no Antigo Testamento.

Por exemplo, em Mateus 22.37, Jesus reitera o ensino do Antigo Testamento, mais especificamente de Deuteronômio 6.5, de que devemos amar a Deus "de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu coração". O próprio Antigo Testamento ensina que os sacrifícios humanos são abomináveis aos olhos de Deus (Lv 18.21; 20.1-5; 2Rs 23.10; Jr 32.35).

Ceticismo. Coteja este versículo e Levítico 18.21, dos quais alega colher contradição, ao afirmar que a Bíblia ao mesmo tempo apresenta textos que retratam Deus requerendo sacrifícios humanos e textos em que este mesmo Deus proíbe tais sacrifícios.

Resposta apologética: A análise dos atinentes a este episódio é suficiente para rechaçar a idéia ceticista. Embora Deus tenha efetivamente requerido que Abraão imolasse seu filho, Isaque, o Senhor agiu dessa forma com propósitos que até hoje surtem efeitos (Mt 10.37). Obviamente que Deus, em sua presciência, sabia a posição de Abraão diante de tal determinação. Atendido o pleito divino até o momento crucial, o próprio Deus, por intermédio de seu anjo, impediu o holocausto (22.11,12), o que é uma demonstração de que esse tipo de procedimento não lhe apraz.


  • Leia também



    Bíblia Apologética com Apócrifos Série Apologética Curso Teologia Online Curso Básico de Teologia Curso Médio de Teologia Curso Bacharel de Teologia
    Contato
    Siga

    © 2017 - 2019 ICP - Instituto Cristão de Pesquisas. Todos os direitos reservados