ICP Responde



O bode da expiação e o bode emissário (Lv 16.1-22)


Adventistas do Sétimo Dia e Igreja Local. Declaram que o bode emissário tipificava Satanás. Vejamos o que ensinam os adventistas: "Satanás não somente arrostou o peso e castigo de seus próprios pecados, mas também dos pecados da hoste dos remidos, os quais foram colocados sobre ele e também deve sofrer pela ruína de almas, por ele causada". Agora, a Igreja Local, pelas palavras de Witness Lee: "Ele também fez com que todos os nossos pecados fossem postos sobre Satanás...".

Resposta apologética: Os versículos 5 e 10 da referência em estudo declaram que, para a expiação do pecado, eram apresentados dois bodes. Satanás não é a oferta pelo nosso pecado. Foi Cristo, e somente Ele, quem carregou os nossos pecados: "Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si" (Comparar Is 53.4-6,11,12 com Mt 8.16,17; Jo 1.29; 1Pe 2.24). A obra expiatória de Cristo é tipificada pelos dois bodes (16.5,10), sobre os quais eram confessadas as iniqüidades e transgressões de todo o povo: enquanto um era sacrificado ao Senhor e o seu sangue aspergido sobre o propiciatório, no interior do templo (v. 15), o outro era apresentado vivo ao Senhor e enviado ao deserto (v. 21).

O Novo Testamento apresenta Jesus como remoção - propiciação (Rm 3.25; Hb 2.17; 1Jo 2.2 e 4.10) - e como o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo (Jo 1.29; 1Jo 3.5). Atribuir a Satanás participação na remoção dos pecados é fazer do diabo co-salvador dos pecadores com Cristo. A morte do primeiro bode indicava expiação plena do pecado: "Deus, enviando o seu Filho [...] condenou o pecado na carne" (Rm 8.3). A expulsão do segundo bode indicava a completa remoção da maldição: "Nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus" (Rm 8.1).

Quem ensina que os pecados não são expiados somente por Cristo, mas também por Satanás, está pregando outro evangelho (2Co 11.4; Gl 1.8,9). Como é possível atribuir a Satanás a obra da salvação? Não há outro salvador além de Cristo. Satanás foi condenado por seu próprio pecado (2Pe 2.4). O Filho de Deus veio justamente para desfazer as obras do diabo e trazer à luz a vida e a incorrupção pelo evangelho (1Jo 3.8; 2Tm 1.10). Satanás não será eliminado da existência, mas lançado no lago de fogo (Ap 20.10).

New Life Mission. Afirma que o ritual da imposição de mãos feito por Arão é uma figura do batismo de Jesus efetuado por João Batista. Assim como Arão transferia os pecados do povo para o bode, João Batista, como representante da humanidade, transferiu nossos pecados para Jesus.

Resposta apologética: A maioria dos argumentos dos adeptos dessa seita é destituída de fundamento bíblico. Há uma enorme diferença entre a expiação feita por Arão sob o bode emissário e o batismo de Jesus efetuado por João Batista. É digno de nota que nenhum dos evangelistas dos sinópticos mostra João Batista impondo as mãos sobre a cabeça de Jesus.

O ofício do sumo sacerdote não era batizar, mas fazer expiação, uma vez por ano. Se o batismo de João fosse um antítipo do sacrifício sacerdotal, isso levaria ao absurdo de afirmar que João fez expiação pela humanidade como se fosse co-redentor, o que seria uma grande heresia. No batismo, João não estava transferindo os pecados para Jesus, mas apenas cumprindo toda a justiça. Até porque João se recusou a batizar Jesus, por achar um ritual desnecessário, pois o propósito de seu batismo era o arrependimento de pecados e Jesus não possuía pecados.

No Antigo Testamento, o ritual da imposição de mãos era reservado a ocasiões especiais, tal como a oração e a bênção, jamais para transferir pecados. A imposição de mãos em simbologia à transferência de pecados era praticada somente em animais.


  • Leia também



    Bíblia Apologética com Apócrifos Série Apologética Curso Teologia Online Curso Básico de Teologia Curso Médio de Teologia Curso Bacharel de Teologia
    Contato
    Siga

    © 2017 - 2019 ICP - Instituto Cristão de Pesquisas. Todos os direitos reservados