ICP Responde



Nem um jota ou um til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido (Mateus 5.18)


Universalismo. Ensina que os trechos bíblicos que se referem à “condenação eterna” pertencem a antigas religiões e revelações primitivas, cuja aplicação é incabível na atualidade.

Resposta apologética: É erro grave propagar a promessa de uma salvação universal, na qual não haverá julgamento e todos, indistintamente, serão redimidos. Jesus, em Mateus 24.35, descarta a tese universalista, sacramentando a eternidade de sua Palavra, a qual, segundo o texto, “não passará”, isto é, durará para sempre. O versículo em análise, ao destacar a insignificância dos tipos gregos citados: iota (j) e keraia (~), mostra que Cristo desejava explicar que todas as coisas que disse, inclusive as menores, haveriam de se cumprir, o que, em paralelo a Mateus 24.35, desbanca a tese universalista.

Ora, se Deus não tivesse o propósito de fazer valer sua Palavra, não teria criado um lugar com o objetivo de arremessar nele aqueles que sofrerem a condenação eterna; o dano da segunda morte (Mt 25.41; Ap 20.14; 21.8).


  • Leia também




    Bíblia Apologética com Apócrifos Série Apologética Curso de Teologia On-line Curso Básico de Teologia Curso Médio de Teologia Curso Bacharel de Teologia

    © 2017 - 2020 ICP - Instituto Cristão de Pesquisas. Todos os direitos reservados.

    Ícones feitos por Freepik from www.flaticon.com