• Missões



    Amapá - O fabuloso encontra das águas!

  • Missões - Amapá

Por Fernando Augusto Bento

Localizado no extremo norte do Brasil, o Amapá é um estado com vasta cultura e costumes regionais. Inclusive, é lá que ocorre o famoso espetáculo de grandiosidade e força da natureza conhecido como pororoca (encontro das águas do rio com as do mar), na foz do rio Araguari, a 18 horas de barco de Macapá. É o mais bem preservado estado brasileiro e mantém intacta quase a totalidade da floresta Amazônica, que cobre 90% de seu território, porém apresenta sérios problemas de infra-estrutura nas áreas de comunicação, energia e transportes. Seu povo é extremamente hospitaleiro. No cenário religioso, a idolatria é uma prática visível entre os católicos, um desafio a mais para os evangélicos que lá residem e se dedicam à obra de Deus.


O fantástico encontro do rio com o mar


A palavra pororoca é de origem indígena e expressa o barulho produzido pelo encontro das águas do rio Araguari com o oceano Atlântico, com um volume de 240.000 metros cúbicos por segundo. O encontro é particularmente violento no período das marés de primavera. Na primeira fase, as águas do rio Amazonas penetram por vários quilômetros dentro do oceano. Em seguida, a maré empurra o rio de volta na direção de seu curso e este se expande pela terra ao redor, alagando toda a área, especialmente as praias e as ilhas mais rasas. Nesse momento, o rio é impedido de despejar suas águas no oceano, ao mesmo tempo em que faz pressão para impedir a força do mar contra seu percurso. Algum tempo depois, a disputa se encerra e a força da maré penetra na foz do rio Araguari.


A origem do Amapá


A divisão das terras do Brasil era feita por intermédio de cartas que o império português fornecia aos homens de sua maior confiança que se instalavam aqui. Geralmente, essas terras eram doadas aos próprios portugueses. Em 1637, Portugal nomeou Bento Manuel Parente como chefe da capitania hereditária, que passou então a se chamar Costa do Cabo Norte. Séculos depois, holandeses e ingleses invadiram o território, mas foram expulsos. Cautelosos, os portugueses constroem a fortaleza de São José do Macapá, para se protegerem das investidas francesas, que queriam tomar a região. A Constituição de 1988 nomeia o território de Amapá, que passou a fazer parte da Federação Brasileira como um dos seus estados.


A capital amapaense


A capital do estado do Amapá é Macapá, que ocupa uma área de 6.562,4 quilômetros quadrados e fica a 1.783 de distância de Brasília, capital do país. A cidade é bem conhecida na região Norte por possuir um grande porto fluvial na parte maior do delta do rio Amazonas. O forte de São José de Macapá, que originou a cidade, foi fundada em 1688. Em 1758, recebeu o status de vila.

Entre os principais atrativos da cidade, encontra-se a igreja de São José do Macapá, construída por volta de 1761, período em que muitos portugueses chegaram na região. O forte de São Jose do Macapá é uma grande atração turística. É na cidade do Laranjal do Jari, no Sul da capital, que se encontra a cachoeira de Santo Antônio. Sua queda d'água, de 30 metros de altura, é um belíssimo espetáculo.


Reservas naturais


* Lago Pirituba. Localizado no município do Amapá, costa leste do estado, possui uma área de 385.000 hectares banhada pelo rio Araguari, que deságua no oceano Atlântico.

* Parque Nacional do Cabo Orange. Ocupando uma área de 619.000 hectares, na região da baía do Oiapoque, extremo norte do estado, o parque foi criado em 1980 e se estende ao longo da costa, passando pelos municípios de Oiapoque e Calçoene. O acesso ao parque é possível pela Rodovia BR-156, que liga Macapá ao Oiapoque e à Clevelândia do Norte, na fronteira com a Guiana Francesa. Pode também ser alcançado por barco, a partir de Macapá ou de Porto Santana.


As tribos indígenas


A população indígena do estado do Amapá está estimada em 4.100 habitantes, divididos em quatro grupos: Galibi, Juminá, Uacã e Waiãpi, que ocupam uma área total de 1.091.454 hectares, definitivamente demarcadas pela Fundação Nacional do Índio (FUNAI), órgão do Governo Federal responsável pela questão indígena no país.

Esses índios têm sido o principal alvo de muitas agências missionárias, que vêm trabalhando arduamente em favor de sua evangelização.


População e densidade demográfica


O estado amapaense possui 477.032 habitantes, distribuídos entre 16 municípios. Sua densidade demográfica é de 2,21 habitantes por quilômetros quadrados. Pessoas de 0 a 14 anos representam 45,4 % do total da população, as de 15 a 59, 50,7 %, e as de 60 ou mais, 3,9 %.

Grande parte dos habitantes, que correspondem entre 80% e 89 % do total da população, residem nas áreas urbanas. Apenas 19,11 % vivem no meio rural. As mulheres representam 49,84% da população e os homens, 50,16 %. O índice de mortalidade no estado é de 2,89 óbitos por mil. A taxa de mortalidade infantil é de aproximadamente 25 falecimentos antes de um ano de idade para cada mil crianças nascidas vivas.


A religiosidade amapaense


Em sua grande maioria, os cidadãos amapaenses professam a fé católica, mas isso não significa que a praticam como base de conduta. A fé católica é aprendida na infância, quando os pais iniciam seus filhos na religião. Com o passar dos anos, as pessoas vão deixando de lado as reuniões litúrgicas e se tornam apenas simpatizantes do catolicismo romano. Então começam a se envolver com outras crenças, principalmente com o espiritismo, a umbanda e o candomblé.


Os evangélicos no Amapá


As igrejas evangélicas têm uma participação de suma importância na sociedade amapaense. Deus têm levantado um grande exército nesse estado. Muitas almas têm-se livrado do engano das seitas e religiões graças aos esforços contínuos de pastores e líderes evangélicos que nunca se cansam de trabalhar na obra do Senhor. Mas a dificuldade ainda existe, pois o povo amapaense continua sendo fiel às tradições pregadas pela igreja católica.

Por isso, insistimos: os servos de Deus, a Igreja viva de Cristo, precisa urgentemente interceder pelos amapaenses, um povo cheio de costumes e tradições que necessita encontrar o verdadeiro caminho: Jesus Cristo.


Do total da população:


Católicos romanos: 70%

Evangélicos: 18%

Ateus: 5%

Outras religiões: 4%

Espíritas: 2%

Umbanda e candomblé: 1%


Motivos de oração:


1. Para o fortalecimento da igreja evangélica.

2. Para que Deus fortaleça e dê sabedoria aos missionários que trabalham em favor da evangelização dos índios.

3. Para que os católicos abandonem a idolatria e encontrem o verdadeiro caminho em Jesus Cristo.


Você sabia que ...


....no Araguai, a pororoca é a onda mais longa do mundo e avança rumo ao interior durante quase uma hora e meia, arrastando tudo o que estiver no leito do rio.


  • Leia também

    Bíblia Apologética com Apócrifos Série Apologética Curso Teologia Online Curso Básico de Teologia Curso Médio de Teologia Curso Bacharel de Teologia
    Contato
    Siga

    © 2017 - 2020 ICP - Instituto Cristão de Pesquisas. Todos os direitos reservados