Verbo



“Você é o que você come”


Certo dia, assisti a um programa na TV a cabo que tinha o seguinte nome: “Você é o que você come”. O objetivo é escolher uma pessoa totalmente acima do peso e com a saúde comprometida e ajudá-la a recuperar sua qualidade de vida. Após o primeiro contato com uma nutricionista, é pedido ao participante para anotar tudo o que consumiu durante uma semana.

Interessante é que, na sequência do programa, a apresentadora, que vai até a casa do participante, coloca sobre a mesa todos os alimentos anotados na lista de consumidos durante a semana. A imagem chega a assustar! Não dá para acreditar, mas é a pura verdade. A pessoa que participa também não acredita no que vê. Descobre, olhando para a mesa repleta de alimentos, o quanto seus hábitos alimentares são nocivos.

Quase tudo o que aquela pessoa disse que come faz mal à saúde. E pior: ainda come em demasia. Sem contar a vida totalmente sedentária que leva. Mas, como resolver o problema? Só mesmo com uma mudança radical.

Na sequência, o participante, acompanhado por profissionais da área de saúde, passa por uma dieta e começa a praticar exercícios físicos. Os resultados logo vão aparecendo. A proposta é que, em oito semanas consecutivas, o participante deve seguir, religiosamente, todas as instruções. Depois desse período, é mostrado aos telespectadores o antes e o depois da alteração dos hábitos de vida do candidato. Ufa! A surpresa é grande, principalmente para o participante do quadro. Fica nitidamente visível que quando nos alimentamos corretamente, e com um pouco de exercícios físicos, tudo melhora em nossa visa.

Tomando como paralelo a observação acima, podemos dizer o mesmo em relação à nossa vida espiritual. Sabemos que precisamos alimentar e exercitar a nossa alma, porque ela também tem fome e precisa de alimentos e exercícios.

Vejamos o que dizem os seguintes textos bíblicos:

“Quando chorei, e castiguei com jejum a minha alma, isto se me tornou em afrontas” (Sl 69.10).

“Mas rejeita as fábulas profanas e de velhas, e exercita-te a ti mesmo em piedade” (1Tm 4.7).

Todavia, o problema está em como a alimentamos e a exercitamos. Você já parou para pensar nisso? Assim, convido você, amado leitor, a uma reflexão: Não acha interessante fazer um balanço da sua vida espiritual, já que estamos terminando mais um ano? Sugiro um exercício espiritual. Viaje com a mente para um mundo imaginário e comece colocando sobre a mesa, no campo das ideias, tudo o que você, durante a semana, usa para nutrir e exercitar a sua alma. Como neste caso os alimentos e os exercícios para a alma não têm peso, utilize, como unidade de medida, o tempo. Por exemplo: anote o tempo que você gasta com leitura bíblica, livros acadêmicos, filmes, novelas, Internet, celular, ouvindo ensino da Palavra de Deus, músicas evangélicas, oração, jejum, estudo, ajudando o próximo, perdoando, exercitando a paciência na rua, no trânsito, na fila de banco, com o vizinho, os filhos, a esposa, enfim, tudo o que você fizer. Após essa viagem imaginária, anote tudo em um caderno.

Que tal, agora, como no programa de TV citado no início, você determinar um período e começar as alterações na sua vida. Tire tudo aquilo que achar nocivo e dê início à sua dieta espiritual. Pode ter certeza: sua vida dará um salto de qualidade.

Lembre-se: “Você é o que come”!


Por Antonio Fonseca


  • Leia também


    Bíblia Apologética com Apócrifos Série Apologética Curso de Teologia On-line Curso Básico de Teologia Curso Médio de Teologia Curso Bacharel de Teologia
    Contato
    Siga

    © 2017 - 2020 ICP - Instituto Cristão de Pesquisas. Todos os direitos reservados


    Ícones feitos por Freepik from www.flaticon.com