ICP Responde



Os irmãos literais de Jesus eram, na verdade, seus primos?


Em Mateus 12.47, na Bíblia católica, na versão dos "Monges Maredsous", o tradutor teceu o seguinte comentário sobre os "irmãos" de Jesus no rodapé da página: "Irmãos: na língua hebraica esta palavra pode significar também 'parentes próximos' ou 'primos', como neste caso. Exemplo: Abraão, tio de Lot, chama-o com a designação de irmão (Gn 11.27; 13.8)".

A palavra "irmão", no hebraico, pode significar primo, mas, mesmo em tais casos temos de ser cautelosos. Geralmente, quando a palavra "irmão" é empregada no sentido de parente próximo, o contexto esclarece a questão: "Os filhos de Merari: Mali, e Musi; os filhos de Mali: Eleazar e Quis. E morreu Eleazar, e não teve filhos, porém filhas; e os filhos de Quis, seus parentes, as tomaram por mulheres" (1Cr 23.21-22). Além disso, o Novo Testamento foi escrito em grego e não em hebraico.

Não devemos nos esquecer de que quando o Novo Testamento faz referências aos irmãos de Jesus os contextos não trazem nenhum tipo de esclarecimento adicional, como acontece no Antigo Testamento. Além disso, os escritores sabiam a diferença entre os termos "irmão" (adelphós), "primo" (anepsiós) e "parentes" (sunggenes). Mesmo Paulo, que usava muitas metáforas, sabia usar com distinção essas palavras. Tanto é que escreveu sobre os "irmãos" de Jesus sem deixar nenhuma dúvida quanto ao laço carnal entre o Senhor e seus irmãos. Vejamos:


Os irmãos literais de Jesus eram, na verdade, seus primos?

Não havia motivo de confusão. O apóstolo empregava os termos sem problemas: "Saúda-vos Aristarco, meu companheiro de prisão, e Marcos, o primo (anepsiós) de Barnabé..." (Cl 4.10). "Saudai a Herodião, meu parente (sungene)" (Rm 16.11). Caso a tese católica estivesse correta, o apóstolo poderia muito bem ter usado a expressão hoi anepsiós Kyriou (primos do Senhor), e não adelphói tou Kyriou (irmãos do Senhor), até porque os irmãos de Jesus estavam vivos quando o apóstolo escreveu as duas epístolas.

Diante do exposto, a única conclusão plausível a que podemos chegar é que os "irmãos" de Jesus eram realmente seus irmãos legítimos, queremos dizer, nascidos do ventre de Maria.


Por Gilson Barbosa

Curso de Apologética Online Bíblia Apologética com Apócrifos Série Apologética Curso de Teologia On-line Curso Básico de Teologia Curso Médio de Teologia Curso Bacharel de Teologia

ICP - Instituto Cristão de Pesquisas. Caixa Postal 64.098 - CEP 22011-970 - Rio de Janeiro - RJ © Todos os direitos reservados. 2021


Ícones feitos por Freepik from www.flaticon.com